UM SETEMBRO RUIDOSO E TERAPÊUTICO (parte II)

 

Esta semana há a estreia em solo internacional do surpreendente power-pop-trio espanhol Flying Pig Matanza: quarta-feira (10 Set.) às 22h30 no Canhoto no Porto e quinta-feira (11 Set.) a partir das 22h no Bartô em Lisboa!

E no último sábado do mês (27 Set.) a ATR retoma a sua residência mensal no RDA69, onde para além do sempre delicioso jantar vegetariano haverá actuações de 
Twisted Freak, Mr. Herbert Quain e Veabis & Tubbhead, artistas do colectivo ZigurArtists!

FLYING PIG MATANZA

(power-pop-trio – espanha)

qua. 10 Set. 22h30 – Flying Pig Matanza (es) @ Canhoto – PORTO

(Travessa de Cedofeita, 60-62 / entrada: 3 euros)

qui. 11 Set. 22h – Flying Pig Matanza (es) @ Bartô – LISBOA

(Costa do Castelo, 1-7 / entrada livre!)

Os Flying Pig Matanza são um power-trio (bateria+teclado+baixo) da solarenga cidade de Alicante no sul de Espanha. A sua música directa e sincera soa a melodias pop com atitude punk, há quem lhe chame indie-rock com influências do pós-punk inglês e espanhol dos anos 80, mas por favor não mencionem os Coldplay!

Formados em 2007 das cinzas do mítico grupo Qualude, publicaram até agora um EP homónimo em edição de autor e o álbum “Los Buenos Momentos” pela editora BCore Disc, que têm estado a apresentar um pouco por toda a Espanha numa intensa e longa digressão que passa agora por Portugal, onde vêm fazer a sua estreia internacional antes de embarcarem em vôos mais altos!

www.youtube.com/watch?v=Uw2RwLaa0iA

www.youtube.com/watch?v=U72hyWYiMSE

 

Posted in Uncategorized

UM SETEMBRO RUIDOSO E TERAPÊUTICO

Viva Bazooka by Dospordos 2

UM SETEMBRO RUIDOSO E TERAPÊUTICO Depois de ter ido a banhos, a ATR volta à (hiper)actividade em Setembro! Para começar o mês em grande, o explosivo power-duo de pós-punk instrumental do País Basco, Viva Bazooka, regressa a Portugal para dois concertos: na próxima segunda-feira (1 Set.) no Fantasma em Lisboa, juntamente com os enérgicos PISTA e no dia a seguir (ter. 2 Set.) no Canhoto no Porto!

Na semana seguinte há a estreia em solo internacional do surpreendente power-trio

espanhol Flying Pig Matanza que toca no dia 10 (quarta-feira) no Canhoto no Porto e no dia 11 (quinta-feira) no Bartô em Lisboa!

E no último sábado do mês (27 Set.) a ATR retoma a sua residência mensal no RDA69,

onde para além do sempre delicioso jantar vegetariano, haverá actuações de alguns artistas da ZigurArtists, colectivo sediado em Lamego, responsável entre muitas outras coisas pelo TRC ZigurFest, festival que vai decorrer nos dias 29 e 30 Agosto!

VIVA BAZOOKA

(post-punk instrumental – país basco)

seg. 1 Set. 22h – Viva Bazooka (es) + PISTA (pt) @ Fantasma – LISBOA

(Travessa do Cotovelo, 12 – Cais do Sodré / entrada: 5 euros)

ter. 2 Set. 22h30 – Viva Bazooka (es) @ Canhoto – PORTO

(Travessa de Cedofeita, 60-62 / entrada: 3 euros)

Os Viva Bazooka são um power-duo instrumental bateria+guitarra do País Basco do

Paraguai. Expressionistas, experimentais e inclassificáveis, misturam precisão cirúrgica e espírito punk. A sua formação sintética está bem justificada: a exuberância clínica da guitarra e o enérgico e complexo trabalho rítmico fazem com que tudo o resto seja a mais. Regressam a Portugal para a apresentar o seu quarto registo discográfico “Bum! Bum!

Brazil!”, um EP de 4 temas tão críptico como explosivo!

http://www.facebook.com/VivaBazookaVB

http://www.youtube.com/watch?v=3nkqPMKzsE4

Pedalcore, bike-rock, afro-punk, chamem-lhe o que quiserem. Uma coisa é certa: PISTA é movimento fresco, velocidade suada, abanão de anca frenético e cadência louca. O

power-duo, composto por Cláudio Fernandes (Cangarra, Jibóia Experience, Nicotine’s

Orchestra) na guitarra/voz e Bruno Afonso (October) na bateria/voz, revelou ser uma das bandas-sensação do pelotão underground da recta final de 2013, com a sua ginga incansável e melodias contagiantes. Depois de terem espalhado magia pelos pequenos e suados palcos deste país, preparam-se agora para uma nova época, na qual prometem ainda mais suor e caos na pista. Rock de camisola amarela? Não, com PISTA é sempre a despir.

http://www.facebook.com/puxapista

http://www.youtube.com/watch?v=EkGQiTZg7-g

PISTA_00_cred_Vera-Marmelo

Posted in Uncategorized

UM VERÃO RUIDOSO (parte III)

This slideshow requires JavaScript.

Os meteorologistas do ruído e os astrólogos terapêuticos vão a banhos, mas prometem  que o verão continuará a ser bem ruidoso!

 Depois do lançamento da discografia completa dos Lemur em CD (que entretanto já está disponível através da distro ATR ou do e-mail terapiadoruido@gmail.com) no passado dia 3 Julho no Lounge (acompanhados pelos camaradas malgaxes Aye-Aye) e da terceira edição do Taina Fest em Lisboa (em mais uma parceria com a Lovers & Lollypops), a ATR despede-se com uma dose dupla de ruído, antes de ir a banhos…

 Esta sexta-feira (25 Jul.) a incendiária dupla franco-italiana Putan Club, projecto paralelo de François Cambuzat dos míticos L’Enfance Rouge, regressa a Lisboa para tocar no Bartô, com a primeira parte a cargo do power-trio lisboeta The Dirty Coal Train!

 E no sábado (26 Jul.) a partir das 20h a ATR volta mais uma vez ao RDA69 para a sua residência mensal, onde para além do habitual (e delicioso) jantar vegetariano haverá uma actuação especial que juntará imagem, som e palavra e que contará com as ilustres presenças dos concon,Bernardo Álvares, Raquel Lima e Maria Radich!

 Por último a ATR estará presente com a sua distro na terceira edição da Feira Morta, uma feira de edições independentes, exposições, concertos e muito mais, que decorrerá no Estúdio Adamastor em Lisboa nos dias 1, 2 e 3 de Agosto a partir das 14h!

sex. 25 Jul. 22h30 – Putan Club (fr/it) + The Dirty Coal Train (pt) @ Bartô – Lisboa

(Costa do Castelo, 1-7 / entrada livre!)

 Dois selvagens na estrada. Guitarras, baixo, computador, industrial, techno, dubstep e selvajaria – como se o Skrillex violasse os Birthday Party: groove e electricidade. Com mais de 700 concertos desde a sua formação, pela Europa, África e Ásia, fazendo também de backing-band para Lydia Lunch, os Putan Club são uma célula de resistência artistíca, iconoclasta e violenta, groovy e evidentemente sexy, caracterizada por um modo de actuar muito próximo ao das primeiras conspirações europeias durante a última guerra mundial (acções de força em lugares diversos) ou ao dos membros da resistência no Iraque e Afeganistão ou na Chechénia. A resistência é organizada com os meios arcaicos e imediatos do nosso século: vozes e ruídos electrónicos, viaturas de combate e palavras de ordem, que é como dizer, desde a pintura rupestre ao conceptualismo mais intrépido, desde o avant-rock até à música clássica contemporânea ou até à música techno/dubstep mais brutal, desde o beijo na boca até ao pontapé no cu! Os lugares de acção são plurais: das galerias de arte em Nova York às casa okupadas na Bósnia, dos museus alemães às discotecas japonesas, dos teatros franceses às tascas moscovitas. E agora, pela segunda vez, em terras lusitanas!

 Reverend Jesse Coltrane, Lena Hurácan Coltrane e Conchita de Aragón Coltrane são o power-trio The Dirty Coal Train, que promete trazer os seus instrumentos amaldiçoados debitando decibéis suados com inspiração no DIY do punk e no cinema de série B onde coabitam com monstros, vampiros, múmias, ovnis e demais parafernália. “Killer Brains From Venus”, é o nome do primeiro EP na Monotone Records já esgotado. Em Outubro do ano passado lançaram o homónimo álbum de estreia (novamente em vinil) que se encontra nas últimas cópias. Depois de muitos concertos e com algumas saídas pela Europa, aguarda-se a chegada do novo LP “Dirty Shake” com uma produção assumidamente lo-fi (o álbum foi na totalidade gravado em casa e em sala de ensaios com meios bastante rudimentares) na esperança de captar a postura ao vivo em detrimento de todas as vantagens e polimentos que um estúdio proporciona. Pelo meio das habituais referências a zombies, monstros marinhos, macacos gigantes, há também lugar para citar Unica Zurn (pintora e autora) em “Der Mann in Jasmin”, Tennessee Williams (em “Stella”) ou os Latin Playboys de David Hidalgo. Garage Punk com Surf & rock & roll, nu e cru!

ATR @ RDA X

Jantar-Concerto

sáb. 26 Jul. a partir das 20h – concon (pt) + BernardoÁlvares (pt) + Raquel Lima (pt) + Maria Radich (pt) @ RDA69

 (Regueirão dos Anjos, 69 – entrada livre! – jantar vegetariano: 3 euros)

 concon é uma espécie de peixe voador que ocupa terras de ninguém em fronteiras ar/água manipuladas por variações de intensidade, frequência e polarização de frentes de compressão mecânica e radiação electromagnética em ambientes controlados.

 Bernardo Álvares é um activo contrabaixista/baixista na cena de música experimental e improvisada de Lisboa. Metade dos S for Seward e um terço dos Zarabatana.

 Raquel Lima é autora de poesia e tem participado em vários eventos poéticos em Portugal, Itália, França, Polónia, Reino Unido, Bélgica, Suécia e São Tomé e Príncipe. Dentro do movimento Poetry Slam, dinamiza encontros nessa vertente de poesia urbana e marginal.

 Maria Radich divide-se entre o rock/progressivo dos AbztraQt Sir Q e a música improvisada. Nessa vertente mais experimental tem vindo a desenvolver outras formas para a voz, onde a liberdade é total.

Posted in Uncategorized

TAINA FEST III

taina fest 3
Duquesa
(pt) + Beautify Junkyards (pt) + Maurício Takara (br) + Ian Carlo Mendoza (mx) + Dedos Biónicos Soundsystem (dj set) + DJ Badalado (dj set) ± SAB. 19 Jul. 16h-22h @ Grupo Excursionista e Recreativo “Os Amigos do Minho” 

(Rua do Benformoso, 244 – Intendente – Lisboa / entrada: 5€ com oferta de petisco)

Chegou o verão, mas continuamos a pensar na mesma coisa. Não há praia que bata uma bifana ou uma patanisca. Não há esplanada melhor do que aquela com uma sombra feita de vinhas, os acordes a aconchegar o estômago, a voz a embalar e a servir de encosto. É o mais perto que conseguimos chegar da noção de paraíso. É o Taina Fest vestido para o verão, mas mantendo a motivação inicial – juntar boa comida e boa música – antes que o calor nos tolde o juízo.

A terceira edição do Taina Fest lisboeta decorre no dia 19 de Julho, sábado, sempre n’Os Amigos do Minho, Intendente. O alinhamento é tão bom que dá vontade de comer.

Duquesa

Se não estivesse este calor, provavelmente Duquesa servia para fingir que estava. Nuno Rodrigues, vocalista e guitarrista dos The Glockenwise, em trajes mais… majestosos. Sonhos pop, gelados, auto-depreciação. Abade Neiva com um cheiro a romance de verão em Venice Beach.

Beautify Junkyards

Os Beautify Junkyards lembram-nos o Outono. Mas há sol a espreitar pelas versões de Vashti Bunyan, Kraftwerk, Os Mutantes. O disco homónimo de Beautify Junkyards arrisca-se a ser o nosso álbum de versões favorito. Reciclagem folk dos clássicos de sempre.

Maurício Takara

Não vale a pena enumerar a quantidade de bandas e projectos aos quais Maurício Takara já emprestou o seu talento; são mais do que o número de campeonatos de bola que o Brasil ganhou. M.Takara é o rei da cocada e do circuito independente de São Paulo e a solo junta bateria às mais diversas excentricidades electrónicas. Músico sem patrão. Paulista de coração.

Ian Carlo Mendoza

Já viram o que Ian Carlo Mendoza faz com uma lata? Parte integrante dos Tigrala de Norberto Lobo e Guilherme Canhão, nascido no México, Ian Carlo Mendoza é um performer experimentado e um percussionista com formação clássica. No Taina apresenta-se em nome próprio. Ginga e poesia cantada de Sinaloa.

Os outros pratos ficam a cargo de Dedos Biónicos Soundsystem, sons com sabor a posta mirandesa e DJ Badalado, com baladas de amor para o primeiro refresco da tarde.

taina 3

Posted in Uncategorized