DEZEMBRO RUIDOSO (parte III)

Esta semana a ATR sugere três eventos que terão a participação de terapeutas do ruído: na quinta-feira (18 Dez.) os míticos Focolitus regressam aos palcos para um concerto especial no Clube Recreativo dos Anjos (com a participação espacial do terapeuta Boris Nunes); na sexta-feira (19 Dez.) a dupla audiovisual concon actua no Manpower 2014 com dois terapeutas convidados: Desmarques e mais uma vez, Boris; e no sábado (20 Dez.) há a estreia mundial dos Juan Inferno (novo trio chunga-flamboyant que inclui Boris na sua formação) no Bartô, com a primeira parte a cargo dos incendiários The Big Church of Fire e dj set do Guerrilheiro de Micro-Satã! (mais info em baixo)

 cartaz focolitus cra cartaz juan inferno + the big church of fire cartaz manpowercartaz exposição andré

Entretanto na quinta-feira (18 Dez.) às 19h há também a inauguração de uma exposição individual do artista andré (2014) na galeria Zaratan – Arte Contemporânea! (mais info aqui)

E no último sábado do mês (27 Dez.) mais uma sessão da residência mensal da ATR no RDA69, onde para além do habitual (e delicioso) jantar haverá concertos da dupla lisboeta Meia de Leite e da dupla luso-finlandesa Vicente/Marjamäki! (mais info em breve)

E para terminar o ano em grande o Bartô convidou os indescritíveis Kafunfo noSoundsystem & VJ Gif para um dj/vj set terapêutico na noite de 31 de Dezembro (quarta-feira)! (mais info em breve)

cartaz focolitus cra

quinta-feira | 18 de Dezembro | 20h

Focolitus (pt)

Clube Recreativo dos Anjos

Rua dos Anjos, 17 – Lisboa

entrada livre!

«Depois da mini-tour ibérica de 2011 que percorreu Lisboa, Porto, Barcelona, Lérida e Madrid para a apresentação do disco “Despreshion das Märr Kathara”, os Focolitus despertam de novo por estranhos processos químicos e geológicos e anunciam uma aparição profana no Clube Recreativo dos Anjos. Ninguém sabe muito bem o que vai acontecer… mas o magma escaldante desta erupção, movido por uma estranha racionalidade, ameaça escolher a dedo reptilário os alvos da sua destruição.»

cartaz manpower

sexta-feira | 19 de Dezembro | 19h-24h

concon & Boris (pt) + concon & Desmarques (pt)

Manpower 2014

Rua Poço dos Negros – Lisboa

entrada livre!

«concon é uma performance para se ouVer. Nasce na água (preparada com pigmentos e ondas de som) e transita (preferencialmente) para paredes brancas, onde se instala, em formato luz. As paisagens criadas são instáveis, fruto das oscilações de intensidade e de frequência de ondas que circulam nos ecossistemas de transição em que peixes e pássaros coabitam. concon é então um projeto de fusão, em que a projeção serve de fonte para o improviso musical e em que o som se torna visível na projeção, manipulando-a. concon é também o nome local para peixe-voador em São Tomé e Príncipe, onde este projecto começou, no contexto de uma residência artística, em 2013. concon é Mariana Marques nas projecções e Jorge Nunes nos sons

Para esta noite da Manpower os concon fazem dois momentos de performance e convidam dois músicos para se juntarem e chapinharem na poça; o primeiro é Boris Nunes, baixista e electrónicas, o segundo é Desmarques, guitarrista; ambos têm vários projectos musicais e tocam juntos na banda dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS

cartaz juan inferno + the big church of fire

sábado | 20 de Dezembro | 23h

Juan Inferno (pt) + The Big Church of Fire (pt) + Guerrilheiro de Micro-Satã (dj set)
Bartô

Costa do Castelo, 7 – Lisboa

entrada livre!

«Os Juan Inferno são um trio chunga-flamboyant de Lisboa que se move entre a performance e o noise extremo e que gosta de misturar luzes stromp, pontapés e melodias que nos levam algures entre o cortar dos pulsos e a levitação psicossomática. Projecções de Catarina Martins.»

«Os The Big Church of Fire são uma banda de Lisboa que recria um universo artístico que se cruza nas paisagens áridas do Oeste americano. Reverend Joe, Brother Louie e Peter Schmiedin. Duas guitarras e uma bateria. Gravaram o seu primeiro trabalho em 2009, “For Tura with Love”, com Matt Verta-Ray (Heavy Trash, Speedball Baby), história ela própria nascida da aventura do fortuito. Dedicaram-no a Tura Satana, actriz de culto e femme fatale dos anos 50. Acabam de lançar o segundo trabalho, intitulado “Banditti con Amore”, gravado em Junho de 2014 nos estúdios King do Nick Nicotine, trabalho onde continuam a explorar histórias de acasos traduzidos num rock psicadélico marcado por referências de Bukowski a Leone.»

Posted in Uncategorized

DEZEMBRO RUIDOSO (parte II)

Esta terça-feira (9 Dez.) começa o Pós-Go, um novo ciclo de sessões de música experimental organizado pela ATR em parceria com a Zaratan – Arte Contemporânea e a 1359, que nesta primeira sessão contará com actuações do saxofonista sueco Olle Vikström a solo e também em trio com o saxofonista catalão Albert Cirera e o violinista português Carlos “Zíngaro”! Paralelamente haverá também a continuação do ciclo Play in the Dark, uma série de concertos integrados na exposição individual de Fernando Fadigas, que nesta ocasião incluirá uma actuação da dupla portuguesa de improvisação electrónica Producers e as projecções do vídeo Undercurrent e da peça sonora In.Land (mais info em baixo)

Entretanto a ATR gostaria de chamar pela última vez a atenção para a campanha de angariação de fundos (aka “crowdfunding”) que está a decorrer para apoiar a SuccoAcido, uma revista/site/comunidade artística independente, internacional e multilíngue, sediada no sul de Itália, que já existe há 14 anos. Mais info sobre esta campanha aqui e ali!

PÓS-Go 1 - final (1)

ter. 9 Dez. 19h -  Olle Vikström (se) + Cirera/Zíngaro/Vikström (es/pt/se) + Producers (pt) + Projecções das peças Undercurrent e In.Land @ Pós-Go I + Play in the Dark IIIZaratan – LISBOA

(Rua de São Bento, 432 / donativo: 2 euros)

ZARΛTAN é um artist-run space, um lugar de encontro para o pensamento crítico e experimentação artística interdisciplinar. Embora a sua actividade se inscreva sobretudo na área das artes visuais, a ZARΛTAN desenvolve uma pesquisa mais ampla que  estende e entre-cruza diferentes níveis do panorama da arte contemporânea.

PÓS-GO I

Em colaboração com a Associação Terapêutica do Ruído, a Zaratan desenvolverá uma programação musical regular de concertos experimentais, intervenções sonoras e outros ruídos que começou com o ciclo Pré-Go e que prossegue agora com o ciclo Pós-Go. Movido pelo desejo de intensificar as relações entre a música e as artes visuais, este ciclo dará continuação a um projecto específico de edições gráficas em parceria com a 1359.

Olle Vikström

Olle Vikström foto

O saxofonista sueco Olle Vikström é um dos mais prolíferos artistas da fértil cena europeia de música improvisada. Focando-se principalmente no saxofone barítono, tem vindo a desenvolver um estilo muito próprio em que questiona permanentemente a sua música em busca de mudanças e incertezas. É que se não houverem dúvidas, então não haverá nada para discutir. Nada em que se envolver. Para Olle são as dúvidas que provocam o movimento para um bem maior e não as respostas.

Cirera/Zíngaro/Vikström

Culturgest, Lisboa

Esta será a estreia mundial ao vivo do trio constituído pelo saxofonista catalão Albert Cirera, pelo violinista português Carlos “Zíngaro” e pelo saxofonista sueco Olle Vikström. 

A larga experiência destes músicos resulta numa mistura de três estilos bem distintos onde camadas sonoras são criadas sem estruturas convencionais. Onde os sons saem com uma grande dose de espontaneidade. Onde as ideias chocam em conjunto e se separam da mesma maneira. Onde nenhum instrumento está à frente e onde nem sequer há frente. Onde ninguém fica para trás.

PLAY IN THE DARK III

É uma série de concertos que são integrantes da exposição de Fernando Fadigas e que atravessam diferentes abordagens exploratórias do som. Na mesma sala acontecerão as projecções do vídeo Undercurrent e da peça sonora In.Land.

Producers

Producers foto

No projecto Producers utiliza-se a electrónica nas mais variadas expressões através dos mais variados artefactos, como circuitos analógicos, fitas, sintetizadores ou samples.

Fernando Fadigas e Miguel Sá são dois artistas multidisciplinares com intervenções e criações no contexto da arte contemporânea – música, vídeo, teatro e performance – feito com equipas variadas e em diversos espaços e eventos como: Galeria Zé dos Bois, Fundação Calouste Gulbenkian, Museu do Chiado, Experimenta Design, Festival Número-Projecta, Festival Offf, Culturgest, +Olhares Pocket Fest 2007, FinnFest, Out.Fest (Barreiro), Veneer/folheado (Belfast/Lisboa), La Casa Encendida (Madrid), Mor Festival (Dublin) ou Festival IFI (Pontevedra). Em 2001 fundaram a editora, produtora e promotora Variz, que lançou seis álbuns e organizou concertos de muitos artistas internacionais em Portugal, incluindo Chris & Cosey, Cluster, Frank Bretschneider, Fennesz, Jakob Kirkegaard, Kim Cascone, Ikue Mori, Rafael Toral, Sutekh, Cylob, Nova Huta, entre muitos outros. Como Producers editaram em 2001 o álbum “7/10″ pela Fundação Calouste Gulbenkian e entraram nas compilações “Night Mode” (DVD inserido no catálogo Em_Trânsito, Goethe-Institut Lissabon, 2005), “Portugal: A New Sound Portrait” (CD, N_records, 2005), “Sonic Scope” (CD, Grain of Sound, 2004), “Metrómetro” (CD, Variz, 2003), “Air Portugal” (CD, 00351, 2001).

Undercurrent (duração 4´34)

Undercurrent é uma instalação audiovisual imersiva sobre a fuga. Usa sons de água e a sua imprevisibilidade para construir uma narrativa sonora. Foi filmada durante o inverno dentro de um rio em Aljezur e mostra uma viagem entre o ponto A e o B depois de um curso de mergulho para uma corrente mais profunda.Este vídeo transporta o som para o primeiro plano. Tenta mostrar os vários aspectos sensoriais e peculiaridades que os fenómenos acústicos subaquáticos produzem. O ecrã negro é imperativo para sublinhar tudo isto e enfatizar o som e os detalhes da sua espacialização. Como uma metáfora de sobrevivência, todas as imagens concretas parecem dar as coordenadas num ambiente claustrofóbico e de mergulho, finalizando com imagens de salvação como um final feliz clássico teria.

In.Land (duração 8´)

In.Land é uma peça sonora sobre espaços internos e externo, que retrata a espacialidade sonora da terra e da materia. Neste trabalho, que se configura como uma representação de diferentes camadas acústicas e ambientes sonóros, existem diferentes ruídos e samples que foram gravados no interior da terra. Vários dos fragmentos que compõem a peça foram collecionados por meio de um microfone que é enterrado, imergido, congelado; outros são captações de diferentes substancias e fenómenos acústicos (como o chocar das pedras, as ondas e a areia do mar, o fogo e as brasas)
Alguns sons foram gravados a partir de uma improvisação ao vivo, onde o som é modulado a partir de uma experiência de ebulição realizada com um laboratório portátil instalado no palco. Estreou no EMS13, Electroacoustic Music in the Context of Interactive Approaches and Networks na CGD-Culturgest, Lisboa em 2013.

Posted in Uncategorized

DEZEMBRO RUIDOSO (parte I)

This slideshow requires JavaScript.

Esta sexta-feira (5 Dez.) a ATR junta-se mais uma vez à ZigurArtists para apresentar os norte-americanos PC Worship, os infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS e os portugueses Veabis & Tubbhead num concerto imperdível no Fontória! (mais info em baixo)

E no dia anterior (qui. 4 Dez.) há a inauguração de uma exposição do artista Fernando Fadigas na Zaratan – Arte Contemporânea, uma nova galeria de arte com a qual a ATR desenvolverá uma programação musical regular de concertos experimentais, intervenções sonoras e outros ruídos que começou com o Ciclo Pré-Go e que continuará em breve com o Ciclo Pós-Go! (mais info em baixo e em breve)

Por último a ATR gostaria de chamar mais uma vez a atenção para a campanha de angariação de fundos (aka “crowdfunding”) que está a decorrer para apoiar a SuccoAcido, uma revista/site/comunidade artística independente, internacional e multilíngue, sediada no sul de Itália, que já existe há 14 anos. Mais info sobre esta campanha aqui e ali!

sex. 5 Dez. 23h45 – PC Worship + dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS + Veabis & Tubbhead @ Fontória – LISBOA

(Praça da Alegria, 66 / entrada: 5 euros c/ oferta de 1 cerveja)

PC Worship é uma banda, um projecto a solo e um colectivo de músicos que vagueia pelos arredores do punk à procura de novos métodos de composição musical e de improvisação livre. Estéticamente descomprometido e exploratório, este colectivo nova-iorquino tem como base a liberdade de expressão artística e a auto-realização criativa. “PC” é um catalisador para esta ambiguidade e como sigla evoca uma imagética futurista, niilista, política, referencial e até religiosa. Da mesma maneira a sua criatividade é perpetuada pelas infinitas possibilidades da sua música, que tanto vai do minimalismo de um acorde repetitivo ao descontrolo de um free grunge caótico ou das estruturas básicas das canções pop a temas feitos inteiramente a partir de manipulações de fitas magnéticas e de secções de sopros orquestradas. No Fontória apresentar-se-ão em formato trio e prometem não deixar ninguém indiferente.

www.pcworship.blogspot.pt

www.youtube.com/watch?v=fPmq055Pouk

É dificíl perceber como é que um grupo que surgiu de maneira acidental e improvisada, baptizado primeiro com um símbolo e depois com um nome impronunciável e cuja  sonoridade continua a ser tão bizarra, tenha sobrevivido até aqui. Depois de 7 anos de actividade intensa e frenética em que deram cerca de 300 concertos nos mais diversos sítios e situações e em que foram escrevendo um percurso único para além das margens do panorama musical português, os dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS estreiam-se no Fontória com um convidado especial.

www.youtube.com/watch?v=FB_dxxFZH4Q

Do sofá foram para o chão e essa é a única certeza em relação a Veabis & Tubbhead. Recentemente transformados em trio, não arriscam adivinhar para onde vão a seguir. Talvez porque não saibam, talvez porque preferem andar ao sabor do imprevisto, ou porque não interessa para nada. No Fontória vão lançar para o éter retalhos e farpas de som que vão ser deixadas a flutuar até encontrarem onde pousar numa próxima vez.

qui. 4 Dez. 19h – “FERNANDO FADIGAS – O MURMÚRIO E A ESCUTA DA IMPREVISÍVEL RESSONÂNCIA DA MATÉRIA NA DERIVA DO UNIVERSO E NADA!” (inauguração e concerto) @ Zaratan – Arte Contemporânea – LISBOA

(Rua de São Bento, 432)

A Zaratan – Arte Contemporânea convida para a inauguração de “O murmúrio e a escuta da imprevisível ressonância da matéria na deriva do universo e nada!”, uma exposição individual de Fernando Fadigas.

Em concomitância com a exposição, o artista apresenta “To play in the dark”, uma série de concertos que atravessam diferentes abordagens exploratórias do som. Como o nome indica todos eles remetem para a escuridão como forma de dar primazia à escuta, muito embora “MOONRISE” seja a única peça dependente da imagem, neste caso da fotografia que é transformada em som. Para além disso faz todo o sentido reunir nesta exposição, alguns dos mais interessantes projectos que Fernando Fadigas partilha com outros autores e amigos. Whit é um quarteto de improvisação que opera o gira-discos e o vinil como instrumentos. No projecto Producers utiliza-se a electrónica nas mais variadas expressões através dos mais variados artefactos, como circuitos analógicos, fitas, sintetizadores ou samples. Na mesma sala acontecerão as projecções do vídeo “UNDERCURRENT” e da peça sonora “IN.LAND”.

Com este evento, a Zaratan continua o seu ciclo trimestral (Dezembro – Fevereiro) de exposições individuais, que alicerça um conjunto de 12 artistas portugueses e emergentes sediados em Lisboa, com o propósito de operar uma mostra significativa do seu trabalho. Desde a escultura ao desenho, da vídeo-instalação à performance, o que aqui realmente interessa é explorar a arte experimental e abraçar desde logo uma atitude interdisciplinar e multimédia, que reflicta a variedade e a quantidade de materiais e linguagens disponíveis para o artista hoje em dia.

A Zaratan – Arte Contemporânea é um espaço sem fins lucrativos gerido por artistas, que pretende promover uma mais profunda compreensão das práticas artísticas contemporâneas.

 

Posted in Uncategorized

NOVEMBRO TERAPÊUTICO (parte IV)

O Novembro terapêutico termina com uma semana hiper-ruidosa: para além da residência mensal no RDA69 no sábado (29 Nov.), a ATR estará no Bartô na noite anterior (sex. 28 Nov.) para apresentar o filme “A Terra dos Carecas” e durante o fim de semana em mais uma edição da Feira Morta! E antes disso há também a estreia em Portugal do guitarrista belga Cédric Castus e ainda a inauguração da nova galeria Zaratan – Arte Contemporânea (qui. 27 Nov.), com a qual a ATR desenvolverá uma programação musical regular de concertos experimentais, intervenções sonoras e outros ruídos que começou com o Ciclo Pré-Go e que continuará em breve com novos ciclos! (mais info em baixo)

Esta semana o guitarrista belga Cédric Castus estreia-se em Portugal com quatro concertos: quinta-feira (27 Nov.) na Sonoscopia (no Porto), sexta-feira (28 Nov.) na Projectil (em Braga), sábado (29 Nov.) na residência mensal da ATR no RDA69 e  domingo (30 Nov.) na Feira Morta! (mais info em baixo)

Na sexta-feira (28 Nov.) a ATR e o Bartô apresentam  “A Terra dos Carecas”, uma comédia neozelandesa realizada e musicada ao vivo por Bernie Rao (aka Bernardo Rão ou “O Matador”), seguida de um dj set dos indescritíveis Kafunfo noSoundsystem, sempre bem acompanhado pelas projecções do misterioso VJ Gif! (mais info em baixo)

E no sábado (29 Nov.) a ATR regressa ao RDA69 para a sua residência mensal onde além do guitarrista Cédric Castus, haverá também concertos do músico italiano Fabrizio Testa e do novíssimo duo luso-americano Mandíbulas, tudo precedido pelo habitual (e sempre delicioso) jantar! (mais info em baixo)

Entretanto durante o fim de semana (sáb. 29 e dom. 30 Nov. das 14h às 20h) a ATR estará presente com a sua distro na quarta edição da Feira Morta, evento que desta feita decorrerá no Adamastor Studios em Lisboa e que junta diversos editores independentes, exposições, concertos, projecções de vídeos, lançamentos, conversas, workshops e tudo o mais, incluindo uma actuação do guitarrista Cédric Castus no domingo (30 Nov.) às 18h! (mais info aqui)

Por último a ATR gostaria de chamar a atenção para a campanha de angariação de fundos (aka “crowdfunding”) que está a decorrer para apoiar a SuccoAcido, uma revista/site/comunidade artística independente, internacional e multilíngue, sediada no sul de Itália, que já existe há 14 anos. Mais info sobre esta campanha aqui e ali!

This slideshow requires JavaScript.

qui. 27 Nov. 19h – “JOÃO MOURO – O ARQUITECTO ARMADO EM BETÃO” (inauguração e performance) @ Zaratan – Arte Contemporânea – LISBOA

(Rua de São Bento, 432)


No dia 27 de Novembro às 19 horas, a Zaratan – Arte Contemporânea convida para a inauguração de “O arquitecto armado em betão”, uma exposição individual de João Mouro. Com este evento, a Zaratan abre um ciclo trimestral (Dezembro – Fevereiro) de 12 exposições individuais, que alicerça um conjunto de artistas portugueses emergentes sediados em Lisboa, com o propósito de operar uma mostra significativa do seu trabalho. Desde a escultura ao desenho, da vídeo-instalação à performance, o que aqui realmente interessa é explorar a arte experimental e abraçar desde logo uma atitude interdisciplinar e multimédia, que reflicta a variedade e a quantidade de materiais e linguagens disponíveis para o artista hoje em dia.

A Zaratan – Arte Contemporânea é um espaço sem fins lucrativos gerido por artistas, que pretende promover uma mais profunda compreensão das práticas artísticas contemporâneas.

Cédric Castus (be)

qui. 27 Nov. 21h30 – Sonoscopia – PORTO

(Rua da Prelada, 33 / entrada livre)

sex. 28 Nov. 22h30 – Projectil – BRAGA

(Travessa do Caires, 39 / contribuições livres)

sáb. 29 Nov. 20h – ATR @ RDA XIIIRDA69 – LISBOA (+ Fabrizio Testa + Mandíbulas)

(Regueirão dos Anjos, 69 / contribuições livres / jantar: 3 euros)

dom. 30 Nov. 18h – Feira MortaAdamastor Studios – LISBOA

(Praça dos Restauradores, 13 – 2º Dto. / entrada livre)

Com influências que vão de Tortoise a Tom Zé ou de Marc Ribot a Steve Reich, Cédric Castus foi criando um estilo muito próprio de tocar guitarra que o levou a colaborar com músicos como Sean O’Hagan (High Llamas), Charlie Francis (R.E.M), John McEntire (Tortoise), Kate Stable (This is the Kit), Sam Genders (Tunng) ou Françoiz Breut.

Servindo-se de uma miríade de pedais de efeitos e loop stations e recorrendo aos mais diversos objectos como garrafas de água, patos de borracha ou rádios portáteis, este guitarrista belga promete surpreender-nos com a sua transbordante criatividade e o seu peculiar sentido de humor. Estreia-se em Portugal a solo e traz na bagagem o seu segundo ábum “Megalo”, lançado no ano passado pela editora Matamore.

www.youtube.com/watch?v=RLymwrerplY

www.youtube.com/watch?v=SRt_eytCc2I

www.vimeo.com/62239270

sex. 28 Nov. a partir das 22h – “A Terra dos Carecas” by Bernie Rao (nz/pt) + Kafunfo noSoundsystem & VJ Gif (dj set) @ Bartô – LISBOA

(Costa do Castelo, 7 / entrada livre!)

“A Terra dos Carecas”

Uma comédia independente neozelandesa, musicada ao vivo, em digressão por Portugal

O humor negro neozelandês está de volta, desta vez com um filme assinado por um realizador emigrante português. O filme chama-se “A Terra dos Carecas” (título original “The Baldlands”) e é um misto de comédia negra, sátira social e drama distópico. A história passa-se na Nova Zelândia, num futuro próximo, e a narrativa gira à volta de uma lei polémica e radical que o primeiro ministro neozelandês faz passar sem explicação, tornando a calvície num crime grave, punido por lei. Uma comédia dramática que nos relembra que a liberdade é sempre uma ilusão.

O realizador Bernie Rao vai estar de Norte a Sul do país a apresentar uma versão especial de “A Terra dos Carecas”, musicada ao vivo. Usando vários instrumentos, Bernie Rao constrói em tempo real as partes musicais do filme. O filme vai poder ser visto em vários cine-teatros, auditórios, salas de cinema, bibliotecas, centros culturais e desta feita no Bartô. Imperdível!

www.youtube.com/watch?v=4JEE9-UGqtM

Bernie Rao

Bernardo Rão (também conhecido por “O Matador” ou Bernie Rao) é um artista multifacetado emigrante na Nova Zelândia.  Entre os seus trabalhos na área da música, destaca-se o projeto de música/live storytelling de culto “O Matador – Gangsta Fado” com vários álbuns lançados desde 2004 e um novo álbum a ser apresentado brevemente.

Quando não está a compor música experimental para cinema e teatro em Wellington, a fazer espectáculos como “O Matador” ou a tocar com o seu trio de jazz, Bernie Rao produz, escreve e realiza filmes e telediscos para bandas neozelandesas.

O seu último trabalho na área do cinema musical, “Teddy”, pelo carismático artista neozelandês “Dr. Glam”, tem tido várias participações em conceituados festivais do género por todo o mundo, incluindo o Wellington Underground Film Festival e o Athens Sprockets Film Festival, onde foi um dos finalistas.

Kafunfo noSoundsystem & VJ Gif

Os Kafunfo noSoundsystem são mais uma faceta da multifacetada Associação Terapêutica do Ruído. Munidos de gira-discos, alguma falta de bom senso e mau gosto q.b., atiram-se às agulhas em busca das pérolas e diamantes da história da música gravada, ou seja, tudo o que vá de Abba a Zappa. Aliados às projecções hipnóticas do misterioso VJ Gif prometem aterrorizar e surpreender os dançarinos mais incautos, mesmo aqueles que não gostam de dançar!

ATR @ RDA XIII

Jantar-Concerto

sáb. 29 Nov. a partir das 20h

Fabrizio Testa (it) + Cédric Castus (be) + Mandíbulas (us/pt)  @ RDA69

(Regueirão dos Anjos, 69 – entrada livre! – jantar: 3 euros)

Fabrizio Testa é um músico e produtor independente italiano. Actualmente a residir em Paris, vem ao RDA69 apresentar a sua mais recente obra em que utiliza leitores de cds, fitas magnéticas, rádios, dispositivos electrónicos e clarinete para criar música acusmática que reflecte sobre a memória dos edifícios abandonados e a decadência da Europa.

«Se um arco-íris fosse feito de cana, e tivesse uma ponta em Chicago e a outra em Lisboa, seria conhecido como Mandíbulas. Fruto de uma possessão demoníaca do guitarrista Ethan Heil pelo semba angolano, entre outros estilos tradicional daquele país, e do seu encontro com o percussionista Carlos Godinho, Mandíbulas é um chão de uvas azuis onde se querem pés bailantes. Recomenda-se cuidado com as dentadinhas!»

Posted in Uncategorized

NOVEMBRO TERAPÊUTICO (parte III)

cartaz 20 XX 20

Este sábado (22 Nov.) os infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS regressam aos palcos para participarem no 20 Vinte XX, evento organizado pela Lovers & Lollypops e pelo atelier Bolos Quentes que juntará 20 bandas, 20 djs e 20 cartazistas na Taberna das Almas em Lisboa! (mais info aqui e ali)

 2semiGIF1

E a próxima semana promete ser hiper-ruidosa: para além da residência mensal no RDA69 no último sábado de cada mês (29 Nov.), a ATR estará presente com a sua distro em mais uma edição da Feira Morta, que desta feita decorrerá no Adamastor Studios em Lisboa nos dias 29 e 30 de Novembro! E antes disso (sex. 28 Nov.) estará também no Bartô para apresentar “A Terra dos Carecas”, um filme realizado e musicado ao vivo por Bernie Rao (aka Bernardo Rão ou “O Matador”), seguido de um dj set dos indescritíveis Kafunfo noSoundsystem, sempre bem acompanhado pelas projecções do VJ Gif (sex. 28 Nov.)! (mais info em breve)

kauzpellaplatz capa

Entretanto a ATR gostaria de relembrar que continua disponível para escuta livre e download pago a compilação de homenagem ao terapeuta do ruído João Capela, Käuzpellaplatz, cujos fundos garantidos serão canalizados para a edição de um livro com os seus textos e que inclui temas de bandas como os Da Monstra (o seu projecto principal), os dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (onde militou atrás da bateria e não só) e os projectos a solo de alguns membros dos dSCi como Gee Bees, Catapulta, Zé Trigueiros ou X. (mais info abaixo)

Käuzpellaplatz é uma compilação que visa homenagear João Capela, músico, artista, escritor, activista, terapeuta do ruído e amigo que nos deixou em Fevereiro de 2014 e que tocou a alma e o coração de todos os que com ele conviveram (mesmo que apenas em fugazes encontros ocasionais), deixando um vácuo na comunidade musical, artística e activista nacional e internacional. João Capela não era apenas um músico. Era sim uma curiosa personagem multifacetada que agia segundo a sua ideologia. Uma das formas de agir era escrevendo. Juntando temas inéditos ou raros, várias bandas e projectos musicais amigos unem-se para angariar fundos de modo a garantir a edição de uma colecção de escritos da sua autoria. Em colaboração com a Associação Terapêutica do Ruído, promotora musical portuguesa underground à qual João Capela também pertencia, bandas como dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS, Da Monstra, Asimov, S for Seward, Brainwashed By Amalia ou Aye-Aye e projectos como Sax on the Road, Pedro e Diana, Joana Guerra, concon, Gil Dionísio, Peter Wood, Diana Dionísio, Barrio)Álvares, Gee Bees, Catapulta, Zé Trigueiros, X, Saul Hollow & Jack Empty ou os misteriosos Triadische Ballet reúnem esforços para honrar a memória de João Capela.

www.associaoterapeuticadoruido.bandcamp.com

www.youtube.com/watch?v=dWB0xiNIApw&feature=youtu.be

Posted in Uncategorized