Um 2016 ruidoso (parte I)

Esta quinta-feira (14 de Janeiro) continua o ciclo de música improvisada da ATR no Damas com o trio Argue de José Bruno Parrinha, Luis Lopes e Ricardo Jacinto e dj set da dupla Rider & Técnico! (+ info em baixo e aqui)

E mais para o fim do mês teremos a estreia do noise-rapper americano (via Berlim) Walter Gross e também os regressos do cantautor italiano Gipsy Rufina, do ovni americano (via Bruxelas) Le Ton Mité e do incendiário duo franco-italiano Putan Club, que entre outras datas estarão todos presentes no MINI BRUTAL FEST, um mega-evento que decorrerá nos dias 28, 29 e 30 de Janeiro no Damas e que contará ainda com concertos do duo de guitarras noise The Orm e do lendário one-man-band The Legendary Tigerman e com dj sets dos indescritíveis Kafunfo noSoundsystem, do imprevisível DJ Quesadilla e da psicadélica dupla Glenn Pires & Mr. Gönzo, numa parceria entre a ATR, o Mundo Quesadilla e o Damas! (+ info em breve)

quinta-feira | 14 de Janeiro | 23h

Argue [José Bruno Parrinha | Luis Lopes | Ricardo Jacinto] (pt)

+ Rider & Técnico (dj set) @ Damas

(Rua da Voz do Operário, 60 – Lisboa / entrada livre)

Nesta quarta sessão do ciclo de concertos de música improvisada da ATR no Damas teremos a actuação do trio Argue de José Bruno Parrinha (saxofone alto/soprano e clarinete), Luis Lopes (guitarra eléctrica) e Ricardo Jacinto (violoncelo), seguido de dj set da dupla Rider & Técnico.

«José Bruno Parrinha, Luis Lopes e Ricardo Jacinto são três músicos emergentes do universo da música improvisada e experimental lisboeta. Investem no desenvolvimento de discursos musicais próprios, distintos, para depois serem aplicados em momentos casuais como é o caso deste triângulo totalmente equilátero. Individualmente desenvolvem diversos projectos com outros músicos, de variadas correntes, que se repercutem em grupos como: IKB, Why Note e Open Mind Ensemble (Parrinha); Humanization 4tet, Lisbon Berlin Trio e Big Bold Back Bone (Lopes); Cacto, Parque e Pinkdraft (Jacinto); entre outros. Desta forma, trazem a sua bagagem de experiências, para, nessa linha de pensamento, partilhar, estudar, evoluir, desafiando-se reciprocamente neste trio de ideias paradoxais, avesso a qualquer caminho pré-programado no momento, e que, como é imperativo, se mostra em concerto ao vivo, exponente máximo de desenvolvimento desta música.»

http://www.luislopes.pt/?page_id=1084

«DJs Rider & Técnico: um é o irmão perdido do DJ Ride, o outro é caloiro em engenharia de materiais. Juntos são dois terços dos Älforjs, separados são o yin e yang um do outro. Espere-se ritmo, sangue e suor.»