Esta semana o ruído hiperterapêutico continua na Zaratan na quinta-feira (15 de Setembro) com concertos do japonês GO e do americano Trever Hagen e no domingo (18 de Setembro com a terceira sessão do “S.O.M.A. – Sound Over Multimedia Art”, ciclo dedicado à experimentação audiovisual organizado pela ATR e pela Zaratan que desta feita incluirá actuações da dupla japonesa Yoshio Machida & Maiko Date que estará a apresentar a performance “Sound is Body, Body is Sound” e dos Vacationland, novo projecto audiovisual que junta a artista americana Martha Colburn aos músicos lisboetas Bernardo Devlin eShelley Barradas! (+ info em baixo e aqui e aqui)

E na próxima semana, também na Zaratan, haverá concertos da dupla suíço-francesa Erb & Loriot com o português Travassos e de mais um projecto ainda por anunciar no dia 22 de Setembro e o décimo quinto episódio do Leitmotiv, ciclo de música escriturada com curadoria de Bernardo Álvares que conta com o apoio da ATR e das Edições Senhora do Monte no dia 23 de Setembro! E no dia 24 de Setembro a ATR estará presente com a sua distro e com a sua parceira doEspaço Múltiplo (Zaratan) na décima edição da Feira Morta, que desta vez decorrerá na Cinemateca! (+ info em breve)

 

GO (jp)
Trever Hagen (us)

Zaratan
entrada livre para sócios – quota anual: 3 euros
Rua de São Bento, 432 – Lisboa

GO é um hiperactivo músico japonês que para além de se dedicar à organização de concertos de música experimental no Japão, tem estado envolvido em diversas bandas com as quais tem feito inúmeras digressões por todo o mundo. Actualmente faz parte dos BAIKAPANIK, trio de Osaka que mistura groove electrónico-progressivo com rimas japonesas e dos JIKU55, duo audiovisual de psychic-noise-core sediado em Berlim que junta GO à performer de BDSM Maria Jiku. A solo utiliza a guitarra eléctrica para explorar as arestas cortantesdas ondas sonoras através do uso de harmónicos e batidas.

Trever Hagen é um trompetista americano residente em Lisboa que se dedica à improvisação com no-input feedbacks, laptops, gravações de campo, microfones caseiros e trompetes preparados. Escreve também sobre música, som e audição. A solo editou vários álbuns pela editora polaca AudioTong e prepara-se para lançar em breve o seu próximo álbum “Wonder Town” pelaKolo, novo selo da editora japonesa Music for New Reference.

 18 de Setembro | domingo | 19h

Yoshio Machida & Maiko Date (jp)
Vacationland (us/pt)

SOMA Nº3

Zaratan
entrada livre para sócios – quota anual: 3 euros
Rua de São Bento, 432 – Lisboa

A Associação Terapêutica do Ruído e a Zaratan apresentam “S.O.M.A. – Sound Over Multimedia Art”, um novo ciclo musical a acontecer mensalmente na Zaratan que celebra a experimentação audiovisual, abraçando uma série de projectos musicais que integram uma componente visual essencial na sua actuação ao vivo, pesquisando assim as sobreposições e as somas entre as frequências das ondas sonoras e os comprimentos das ondas de luz, numa tentativa de tornar audível o visível e/ou visível o audível.

Yoshio Machida & Maiko Date – “Sound is Body, Body is Sound”

Yoshio Machida toca e Maiko Date dança. Antes de cada actuação, distribuem cartas com diferentes excertos de poesia por cada membro da audiência. Segundo os próprios, as diversas sugestões que daí advêm, como no tarot, darão uma perspectiva de observação diferente a cada um. O que acontece depois é uma exploração da interdependência entre música e dança e as infinitas possibilidades que a improvisação confere a estas práticas.
Maiko Date é uma bailarina japonesa de dança contemporânea radicada em Berlim desde 2012. Fundadora da companhia de dança Japonens e vencedora de inúmeras competições. Colabora recorrentemente com artistas de outras áreas como Tetsu Sitoh (música), Romain Kronenberg (música), Oliver Marquardt (música), Kentaro Taki (vídeo) ou Hirofumi Miyauchi (pintura).
Yoshio Machida é um artista visual e sonoro. Enquanto músico tem-se dedicado ao steelpan enquanto veículo de improvisação, incorporando igualmente na sua música elementos de música tradicional indiana, jazz, música experimental e electroacústica. É também fundador da editora AMORFON.

Vacationland

Os Vacationland são uma banda visionária de olhos vendados projectando a verdade escondida por trás da tela. Do ponto de vista da autocracia musical e plural esta banda multinacional promove um anarquismo desinibido em forma de luz, som e dimensão. Os membros incluem Martha Colburn (filmes e samples), Bernardo Devlin (harmónica e sintetizador) e Shelley Barradas(guitarra e bateria)