Ao longo deste ano a Associação Terapêutica do Ruído (ATR) e os seus gémeos siameses dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) estão a celebrar 10 anos de ruído terapêutico, assim prossegue o quarto capítulo!

Este sábado (22 de Abril) temos a estreia em Lisboa do guitarrista espanhol Isasa e do cantautor espanhol Daniel Ardura que tocam no Panóplias, novo espaço no Bairro Alto! (+ info em baixo e aqui)

E na próxima semana (sexta-feira | 28 de Abril) haverá a quarta sessão do Versus – Ciclo de Música Antagónica, ciclo mensal com curadoria da ATR e da Zaratan – Arte Contemporânea que terá como antagonistas o americano Last King Of Poland com o seu noise monárquico e o português Presidente Drógado com as suas canções republicanas e como artista convidado o Marcos Farrajota! (+ info em breve e aqui)

Entretanto já está disponível para escuta a mixtape “10 anos de ATR & dSCi (capítulo IV)” que a ATR e a stress.fm prepararam com temas de alguns dos projectos que já passaram ou ainda vão passar por este terapêutico mês!

E também já está disponível para download gratuito através do bandcamp da ATR o álbum “Arritmia” dos Da Monstra, segunda de uma série de reedições digitais de discos que tiveram a colaboração da ATR!

22 de Abril | sábado | 22h30

Isasa (es)
Daniel Ardura (es)

Panóplias
Rua da Rosa, 154/156 – Lisboa
entrada livre

Isasa é um guitarrista e compositor nascido em Madrid em 1977, de pais uruguaios, que tem sido um membro activo da cena underground da sua cidade desde o início dos anos 90. A solo mantém-se fiel ao espírito original da guitarra primitivista americana de John Fahey, Glenn Jones ou Jack Rose, mas sempre com um pé bem fincado na sua própria tradição, inspirada por um lado pela guitarra espanhola e pela música sul-americana que ouvia em casa dos seus pais e por outro pela sua trajectória como músico que em diversos momentos o levou a aproximar-se do jazz, do pós-hardcore e da música experimental. Depois de um primeiro disco onde demonstrou a sua vontade em explorar o som da guitarra acústica, transformando paradoxalmente as limitações do instrumento em virtudes, Isasa vem pela primeira vez a Portugal para nos apresentar o seu segundo álbum “Los días”, lançado no ano passado pela editora La Castanya, em que dá mais um passo na busca da sua própria identidade musical, tentando simultaneamente conciliar as tradições pessoais com as influências universais.

Já com mais de dez anos de carreira, inúmeras digressões e seis álbuns às suas costas (com as bandas Alado Sincera e Sonio), Daniel Ardura estreia-se no nosso país trazendo na bagagem “Voltereta”, o seu primeiro disco a solo, recentemente editado pela Repetidor Disc, onde utiliza a voz e a guitarra como únicos elementos, afastando-se no entanto do habitual linhagem de cantautores ao partir da criação lírica para elaborar breves peças monolíticas, composições monotonais ou sofisticadas canções, todas elas de alto teor pessoal e poético.

Advertisements