A hiperactiva Associação Terapêutica do Ruído (ATR) e os seus infames gémeos siameses dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) estão a comemorar 10 anos de ruído terapêutico ao longo de todo este ano, mas é em Maio que cumprem oficialmente o seu aniversário!

Esta sexta-feira (19 de Maio) há a quinta sessão do Versus – Ciclo de Música Antagónica, ciclo mensal com curadoria da ATR e da Zaratan – Arte Contemporânea que terá como antagonistas o inglês Kiran Leonard com as suas composições acusticamente desordenadas e o catalão Odd Labu com as suas descomposições electronicamente ordenadas e como artista convidada a Hetamoé! (+ info em baixo e aqui)

Na próxima semana (quinta-feira | 25 de Maio) os infames dSCi regressam ao Jardim da Estrela para festejarem o 10º aniversário do seu primeiro concerto e com eles trazem o power-noise-duo francês Daikiri, que volta a Portugal depois das explosivas passagens em 2013 e em 2016 e o one-man-noise-band Tarabush, o misterioso projecto paralelo de Gipsy Rufina, cantautor italiano que tem vindo frequentemente ao nosso país nos últimos anos! (+ info em breve e aqui)

E para terminar o mês (terça-feira | 30 de Maio) o nosso indomável Catapulta junta-se mais uma vez ao nosso inefável Desmarques (ambos terapeutas do ruído e membros dos infames dSCi) para participarem nas Terças de Poesia Clandestina, evento quinzenal que junta poesia, música, performance e debate e que acontece no Titanic Sur Mer! (+ info em breve)

Entretanto já está disponível para download gratuito através do bandcamp da ATR a reedição digital da discografia completa dos Lemur (que já tinha sido editada digitalmente em 2013 pela Enough Records e em formato físico em 2014 numa colaboração entre a banda, a ATR e a Miranada)!

E também continua disponível para escuta a mixtape “10 anos de ATR & dSCi (capítulo V)” que a ATR e a stress.fm prepararam com temas de alguns dos projectos que já passaram ou ainda vão passar por este terapêutico e ruidoso mês!

19 de Maio | sexta-feira | 19h

Kiran Leonard (uk)
vs.
Odd Labu (es)

Versus V
Zaratan
Rua de São Bento, 432 – Lisboa
entrada livre para sócios – quota anual sócio: 3 euros

A Associação Terapêutica do Ruído e a Zaratan – Arte Contemporânea apresentam Versus, um ciclo de concertos a acontecer mensalmente na Zaratan.
Seguindo um princípio ecléctico de programação, o pressuposto desta nova aventura musical é juntar projectos diferentes entre si, ou até mesmo opostos, numa mesma sessão. Neste aparente antagonismo procuramos pontos de contacto e/ou de divergência que ilustrem de algum modo a complexidade e diversidade das definições estilísticas da música contemporânea.
Em cada sessão haverá o lançamento de um cartaz em risografia realizado propositadamente para a ocasião. A convite da Zaratan, diferentes artistas recebem o desafio de criar uma imagem de alguma forma ligada ao tema do antagonismo, inspirada também nas sonoridades dos projectos convidados pela ATR a participar neste ciclo.
Nesta quinta sessão os antagonistas são o inglês Kiran Leonard com as suas composições acusticamente desordenadas e o catalão Odd Labu com as suas descomposições electronicamente ordenadas. E a artista convidada é a Hetamoé.

Kiran Leonard é um jovem, mas experiente músico inglês recém-chegado a Lisboa que toca canções semi-improvisadas com a única guitarra que conseguiu trazer na sua mala, uma pequena guitarra acústica de braço desaparafusável da qual vão saindo, por entre ruídos e notas aparentemente sem ordem, melodias tristes e desesperadas que acompanhadas pela sua singular voz vão dando origem a surpreendentes canções, algumas previamente compostas, outras roubadas a fantasmas que não se podem defender.

Odd Labu é um dos alter egos de Andreu Garcia Serra, músico catalão a residir actualmente em Lisboa. Depois da actuação em Novembro passado como Ubaldo, o seu alter ego principal, com o qual nos veio apresentar o próximo álbum “La pèrdua de l’estat”, prestes a ser editado pela sua Boira Discos, Andreu regressa à Zaratan para nos mostrar a sua face mais sombria, oculta por trás de uma máscara: violência, confrontação, gritos na cara, ruídos electrónicos, baixas frequências e uma sensação contínua de imprevisibilidade.

Ana Matilde Sousa (1984), aka Hetamoé, é uma artista visual de Lisboa e weeaboo com interesse por todas as coisas fofinhas e DIY. Trabalha em variados media incluindo pintura, desenho, banda desenhada, fotografia e vídeo, frequentando actualmente o doutoramento em Pintura na FBAUL. É membro fundadora do selo de zines Clube do Inferno, sob o qual auto-publica trabalhos seus e colabora com projectos nacionais e internacionais. Recentemente, contribuiu para antologias de banda desenhada da série QCDA da editora Chili Com Carne, š! da editora báltica kuš! e publicou Spookytongue com as Ediciones Valientes. Participa regularmente em exposições e realiza investigação sobre arte contemporânea e cultura popular japonesas. A sua posse mais preciosa é uma dakimakura.

Advertisements