A hiperactiva Associação Terapêutica do Ruído (ATR) e os seus infames gémeos siameses dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) estão a comemorar 10 anos de ruído terapêutico ao longo de todo este ano, mas é em Maio que cumprem oficialmente o seu aniversário!

Esta quinta-feira (25 de Maio) os infames dSCi regressam ao Jardim da Estrela para festejarem o 10º aniversário do seu primeiro concerto e com eles trazem o power-noise-duo francês Daikiri, que volta a Portugal depois das explosivas passagens em 2013 e em 2016 e o one-man-noise-band Tarabush, o misterioso projecto paralelo de Gipsy Rufina, cantautor italiano que tem vindo frequentemente ao nosso país nos últimos anos! (+ info em baixo e aqui)

E para terminar o mês (terça-feira | 30 de Maio) o nosso indomável Catapulta junta-se mais uma vez ao nosso inefável Desmarques (ambos terapeutas do ruído e membros dos infames dSCi) para participarem nas Terças de Poesia Clandestina, evento quinzenal que junta poesia, música, performance e debate e que acontece no Titanic Sur Mer! (+ info aqui)

Entretanto continua disponível para download gratuito através do bandcamp da ATR a reedição digital da discografia completa dos Lemur (que já tinha sido editada digitalmente em 2013 pela Enough Records e em formato físico em 2014 numa colaboração entre a banda, a ATR e a Miranada)!

E também continua disponível para escuta a mixtape “10 anos de ATR & dSCi (capítulo V)” que a ATR e a stress.fm prepararam com temas de alguns dos projectos que passaram por este terapêutico e ruidoso mês!

25 de Maio | quinta-feira | 18h30

dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (pt)
Daikiri (fr)
Tarabush (mud)

Jardim da Estrela
Praça da Estrela – Lisboa
entrada livre

No dia 25 de Maio de 2007 os infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (e a sua hiperactiva gémea siamesa Associação Terapêutica do Ruído) estreavam-se em nome próprio no entretanto extinto Espaço Centro de Desastres nos Anjos. Dez anos, trezentos e tal concertos e inúmeras aventuras e desventuras depois, voltam ao seu Jardim da Estrela, onde tiveram o prazer de tocar em 2010 e em 2011, para celebrar 10 anos de ruído terapêutico, muito bem acompanhados pelos seus amigos Daikiri e Tarabush e por toda a gente que se quiser juntar à festa.

Os Daikiri são um power-duo oriundo de Metz constituído por Thomas, um dos baixistas e volcalistas dos Le Singe Blanc e por Bastien, o baterista dos Myster Möbius, cujos temas curtos e incisivos nos prometem curar da surdez com a sua hábil fusão de géneros tão distintos como o hardcore, o noise, o metal, o math-rock e até o samba. Vêm pela terceira vez a Lisboa depois dos memoráveis concertos no Mini-Festival do Ruído na saudosa NAVE em 2013 e no Damas em 2016 e na bagagem trazem o seu terceiro álbum “Marcel Supra”, editado no final do ano passado numa parceria entre várias editoras europeias.

Alguns viajantes antigos dizem que o termo “Tarabush” se refere a um tipo de tabaco que pode ser encontrado em grandes quantidades nos mercados de rua albaneses. Além disso nunca ninguém ouviu falar deste termo até às aparições raras de um one-man-band terem sido relatadas na Europa central e meridional, apesar da ligação entre estas duas referências permanecer desconhecida. Testemunhas alegam que este Tarabush nunca mostra a sua cara e que veio da lama, mas pouco se sabe ao certo sem ser que toca uma espécie de “doom gothic blues” com instrumentos construídos por si próprio.

Advertisements