A hiperactiva Associação Terapêutica do Ruído (ATR) e os seus infames gémeos siameses dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) continuam a celebrar 10 anos de ruído terapêutico ao longo de todo este ano, mas depois de terem cumprido oficialmente o seu aniversário em Maio irão abrandar um pouco o seu imparável ritmo nos próximos meses!

Este sábado (17 de Junho) há a sexta sessão do Versus – Ciclo de Música Antagónica, ciclo mensal com curadoria da ATR e da Zaratan – Arte Contemporânea que nesta sessão terá como antagonistas Tiago Silva com as suas aventuras acústicas e Crónico com as suas desventuras cronológicas e como artista convidado o André Araújo! (+ info em baixo e aqui)

Na próxima semana (sexta-feira | 23 de Junho) haverá o sexto acto da Convenção Internacional do Ruído Terapêutico, residência mensal da ATR no Damas que desta feita incluirá uma prelecção sobre ruído delicado pelo duo italiano Comaneci (que regressa a Portugal depois de uma memorável passagem pelo nosso país em 2013 e das vindas a solo em 2014 e 2016 de Glauco Salvo aka Of Rivers and Trains), uma dissertação sobre ruído inefável pelo terapeuta do ruído (e membro dos infames dSCi) Desmarques e ainda uma palestra sobre ruído exótico pela doutora Candy Diaz! Para a ocasião será reeditado digitalmente através do bandcamp da ATR o álbum “Bear With Me” do terapeuta do ruído (e membro dos infames dSCi) Zé Trigueiros, juntamente com o seu novo single “Telhado”, dando continuação a uma série de reedições de discos que tiveram a colaboração da ATR! (+ info em breve e aqui)

Entretanto esta sexta-feira (16 de Junho) na Zaratan há o lançamento do disco de Kid, o novo projecto de música electrónica do terapeuta do ruído (e membro dos infames dSCi) Boris Nunes, pela editora Partícula..
(+ info aqui).

E já está disponível para venda o split-book “Corta-e-Cola: Discos e Histórias do Punk em Portugal (1978-1998) / Punk Comix: Banda Desenhada e Punk em Portugal” de Afonso Cortez e de Marcos Farrajota que foi editado no passado dia 10 de Junho na Feira do Livro pela Chili Com Carne e pela Thisco (com o apoio da Zerowork Records) e que inclui a compilação “Punk Comix” com faixas exclusivas de diversos projectos nacionais e internacionais como Presidente Drógado, The Dirty Coal Train, Putan Club, Melanie is Demented ou os infames dSCi (cujo tema “Caminhando” foi inspirado pelo livro “Caminhando com Samuel” de Tommi Musturi e conta com a participação especial de Vicente Nunes, autor de uma das capas deste duplo livro)!

Versus – Ciclo de Música Antagónica

17 de Junho | sábado | 19h
Tiago Silva (pt)
vs. Crónico (pt)
Versus VI
Zaratan
Rua de São Bento, 432 – Lisboa
entrada livre para sócios – quota anual sócio: 3 euros

A Associação Terapêutica do Ruído e a Zaratan – Arte Contemporânea apresentam Versus, um ciclo de concertos a acontecer mensalmente na Zaratan.
Seguindo um princípio ecléctico de programação, o pressuposto desta nova aventura musical é juntar projectos diferentes entre si, ou até mesmo opostos, numa mesma sessão. Neste aparente antagonismo procuramos pontos de contacto e/ou de divergência que ilustrem de algum modo a complexidade e diversidade das definições estilísticas da música contemporânea.
Em cada sessão haverá o lançamento de um cartaz em risografia realizado propositadamente para a ocasião. A convite da Zaratan, diferentes artistas recebem o desafio de criar uma imagem de alguma forma ligada ao tema do antagonismo, inspirada também nas sonoridades dos projectos convidados pela ATR a participar neste ciclo.

Tiago Silva
Guitarrista de Lisboa, já por diversas ocasiões tocou na Zaratan. A maior parte das vezes tocou a solo, mas também com o duo THE ORM (com Filipe Felizardo) e, no LEITMOTIV #5, com Luís Lopes. Em comum a todas as apresentações a guitarra eléctrica e algum volume. A propósito do Versus – Ciclo de Música Antagónica, Tiago Silva vai tocar guitarra acústica, antagonizando-se a si mesmo.

Crónico
Pedro Augusto desde pepino que orelhava na sala de sua avó
aquele relógio cordado, aparedado, avé mariando por partes de hora.
O clímax repicava às doze balambadas.
Odiava-lhe o desbaratamento, por isso lhe rotativava as corduras.
Morrida a avó, passados vários escombros,
na garage da filha de sua avó dá de reencontrão
com o maldito corujo.
Várias macrofonias irão capotar a intervenção
cirúrgenica de Augusto ao avé mariador,
ruivos roncarão de sua pança
e
seja o que os eus quiserem.

André Araújo
Nasceu no Porto em 1990 do signo Peixes, estudou Design na Universidade de Aveiro, actualmente reside e trabalha em Lisboa como designer gráfico. Adora redundâncias e objectivações, viaja frequentemente pelo seu próprio consciente sem um rumo definido apenas para se dar conta que raramente se encontra presente, assim que volta à realidade dedica-se à sua música e por consequência encontra a sua paz interior. Não se subjuga ao acordo ortográfico.

Advertisements