A hiperactiva Associação Terapêutica do Ruído (ATR) e os seus infames gémeos siameses dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) continuam a celebrar 10 anos de ruído terapêutico ao longo de todo este ano e após um leve abrandamento retomam as suas actividades ruidosas!

Esta sexta-feira (1 de Setembro) há o sétimo acto da Convenção Internacional do Ruído Terapêutico, residência mensal da ATR no Damas que desta feita contará com uma conferência bipartida sobre ruído “guitarrístico-baterístico” pelos mestres escandinavos Strändernas Svall e pelos especialistas portugueses Cangarra, que aproveitarão a ocasião para reeditar digitalmente através do seu bandcamp a split-tape que lançaram em 2013 pel’A Giant Fern com os infames dSCi (que farão o mesmo através do seu bandcamp)! E para fechar a noite o doutor Ondness dar-nos-á uma prelecção sobre ruído cartográfico em forma de dj set! (+ info em baixo e aqui)

Antes disso, na quarta-feira (30 de Agosto), o terapeuta do ruído (e membro dos infames dSCi) Desmarques irá tocar na associação cultural Filho Sarilho na antiga pré-primária dos Pisões em Pataias (Alcobaça) com o noisemaker lituano Arma Agharta, que a ATR e a Zaratan tiveram o prazer de receber em Lisboa no ano passado! (+ info aqui)

Na próxima semana (sexta-feira | 8 de Setembro) haverá a sétima sessão do Versus – Ciclo de Música Antagónica, ciclo mensal com curadoria da ATR e da Zaratan – Arte Contemporânea que nesta sessão terá como antagonistas o neo-zelandês Ron Gallipoli com os seus delírios trópico-industriais e o francês Philippe Lenzini com as suas atmosferas hipnótico-cinemáticas! (+ info em breve)

E no dia 9 de Setembro os infames dSCi estarão de volta às estradas e aos palcos, já como dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS, para participarem na oitava edição do Perro Perdedor Perdiguero Sound Fest do The Rincón Pío Sound (em Don Benito)! E na segunda metade de Setembro e início de Outubro juntam-se aos ignóbeis Desflorestação para uma digressão que passará por Espanha, França e Suíça! (+ info em breve)

Entretanto já está disponível para escuta e download gratuito através do bandcamp dos dSCi a discografia completa dos dOISsEMIcIRCUITOSiNVERTIDOS, que inclui os álbuns “Live at Auditório Carlos Paredes” e “Live at RDA69”, anteriormente editados pela Enough Records e mais alguns temas que foram saindo em diversas compilações! E também já está disponível através do bandcamp da editora ANewHai a “Trash n’ Tantrum”, uma compilação mundial de circuit-bending que inclui um excerto de um concerto deste projecto paralelo de improvisação electro-acústica dos infames dSCi!

Convenção Internacional do Ruído Terapêutico #7

1 de Setembro | sexta-feira | 23h

Strändernas Svall (se/no)
Cangarra (pt)
Ondness (dj set)

Damas
Rua da Voz do Operário, 60 – Lisboa
entrada livre

No cada vez mais fértil panorama das promotoras e demais agentes de disseminação cultural fundamentadas na crença e na verdade, é absolutamente obrigatório destacar o pioneirismo bravo do trabalho incansável desta Associação Terapêutica do Ruído contra todas as intempéries. Entidade gémea dos dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS que tem vindo a a inflamar o tecido cultural deste país com inúmeros concertos e actividades espalhados por todos os locais de interesse neste país, num exemplo de bravura ainda longe de estar devidamente cartografado, mas merecedor do maior respeito e admiração.

No ano em que celebram uma década de actividade, num exemplo quase único de resistência e visão por estes lados, esta cooperativa de meliantes e agitadores fundamentada num princípio comunal de honestidade e coração celebram esse mesmo feito com a Convenção Internacional do Ruído Terapêutico. Nova residência da ATR nesta casa que sempre os acolheu e que se vai estender ao longo deste ano em 10 aparições alinhadas com o espírito inconformista e a vontade que sempre guiou os seus instintos.

Strändernas Svall
Furioso duo escandinavo em rotação entre a Suécia e a Noruega já com actividade desde 2011 assente no binómio espasmódico criado pela guitarra de Finn Loxbo (Fire! Orchestra, Doglife) e Vegard Laudval (Silverlight, Järnnätterna). Algures entre a hiperactividade dos Orthrelm e a frontalidade dos Lightning Bolt, perpetuam a linhagem spazzcore que assolava por editoras como a Three One G ou TroublemanUnlimited. Temas longos, onde o prodígio técnico nunca cede à esterilidade para se revelar num tumulto tão bruto quanto conciso, por entre uma barragem de riffs, distorção, cavalgadas e contratempos, onde a precisão do metal se deixa ao abandono do punk e do hardcore mais telúrico.

Cangarra
Regresso deste duo formado por dois nomes bem conhecidos destas movimentações, Cangarra alicerça-se de modo titânico na guitarra incandescente de Cláudio Fernandes (Pista, Nada Nada) e na bateria convulsa de Ricardo Martins (Bruxas/Cobras, Papaya e uma lista interminável). São uma espécie de continuação física das projecções mais elevadas e libertadoras de Fernandes que, alimentadas pela ferocidade do mais hiperactivo baterista do país ganham uma dimensão psicadélica que não desdenha de se mostrar bruta sem cair numa ferocidade “vale tudo menos o lava-loiça”. São a consequência mais fixe do stoner e da jam, sem riffs revivalistas e prisões pentatónicas. Arrepiar caminho com segurança. Afinal de contas, Cangarra é sinónimo de corta-mato.

Ondness
Alias mais perene de Bruno Silva ao longo dos últimos anos, com edições espalhadas por editoras como Where to Now?, Seagrave ou Phinery e algumas viagens pela Europa a desenharem os pontos cardinais possíveis nesta cartografia em construção. Nos seus DJ sets passeia-se por algumas das coordenadas vestigiais do seu som – uk funky, grime, techno e house – que habitam no hemisfério mais dançável desse espectro.

textos: Bruno Silva
artwork: José Smith Vargas

Advertisements