Esta sexta-feira (9 de Novembro) no Aposentadoria (ex-Banco) há a estreia em Lisboa do surpreendente rapper norte-americano Signor Benedick the Moor e o regresso da extravagante dupla francesa Daisy Mortem, seguido de um dj set das divinas maravilhosas Kosmik Kunts! (+ info em baixo e aqui)

E no dia 18 de Novembro haverá o lançamento do split em vinil dos infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) e dos intrépidos Parpar na 2ª Edição da Feira de Vinil de Lisboa, evento que irá decorrer no Mercado de Santa Clara nos dias 16, 17 e 18 de Novembro.! (+ info em breve e aqui)

Entretanto este mês o terapeuta do ruído (e membro dos infames dSCi) Borisestará de volta aos palcos lisboetas em dois formatos: como Boris dos Bosquesno dia 16 no Má Língua num concerto inserido no ciclo Linguados Poetas, mostra de cantautores que está a decorrer neste espaço ao longo de Novembro e como Catapulta no dia 23 na Casa Virginie por ocasião da inauguração da exposição Tutti Fútil de Raf Cruz! (+ info em breve e aqui e ali)

E entretanto haverá também o regresso a Portugal do noisemaker tailandês Pisitakun que passou pelo nosso país em Março deste ano e que voltará durante este mês para vários concertos a serem anunciados brevemente! (+ info em breve)

9 de Novembro | sexta-feira | a partir das 22h

Signor Benedick the Moor (us)
Daisy Mortem (fr)
Kosmik Kunts (dj set)

Aposentadoria
Travessa Santo António à Sé, 10 – Lisboa
contribuição consciente: 3 euros

Signor Benedick the Moor é um rapper da Califórnia conhecido não só pela sua abordagem experimental e desconstrutiva do hip-hop, repleta de mudanças de estilos musicais e letras brutalmente poéticas, mas também pelas suas actuações altamente energéticas e pelas suas performances queer. Em plena digressão europeia com os franceses Daisy Mortem, vem pela primeira vez ao nosso país para apresentar o seu mais recente trabalho “CYBR.pnk // MFNST.dstnii”, que junta temas de duas mixtapes publicadas anteriormente e que foi lançado este ano pela Deathbomb Arc, editora de cassettes underground com a qual este músico norte-americano e outros projectos alienígenas como Death Grips, clipping. ou JPEGMAFIA têm colaborado frequentemente.

Os Daisy Mortem são a banda sonora de um sonho erótico que termina num massacre numa discoteca. Envolta numa estética burlesca e com uma energia sexual transbordante, a sonoridade deste duo francês passeia-se alegremente entre os ritmos kinky do electro mais hardcore e as atmosferas sombrias e obsessivas do pós-punk mais gótico, sem nunca perder de vista a noção de canção. Depois de terem partilhado o palco com projectos como The Garden, Les Trucs, Infecticide, JPEGMAFIA ou Lovataraxx, regressam a Lisboa para mostrarem um pouco do poderoso sucessor do seu primeiro EP “La vie c’est mort” de 2017, intitulado “Faits-Divers”, a ser editado em breve e do qual já pode ser escutado (e visto) o single “Arêtes”.

Kosmik Kunts são poderosas, místicas divinas maravilhosas, lascivas insolentes e ternurentas românticas invertebradas. Andam cientes das amarras que o patriarcado lhes impõe e enfrentam-nas de chifres em riste, mamilos em chamas e perante elas reviram os olhinhos com certo cinismo e muito enfado. Kosmik Kunts são o duo cósmico de Maria Daniela e Elizabete Francisca, que embora se deleitem especialmente com o malandrinho sotaque carioca, adoram todas as línguas e não têm preferência pelo género de quem as exercita. Nos seus dj sets ecoam gemidos de donzelas, gritos de guerreiras e lamentos de homens enfeitiçados.

Advertisements