Este sábado (15 de Junho) a partir das 18h há o Noite Monstra Terror Fest!, um evento monstruoso organizado pela ATR que vai decorrer na Alternadora, novo espaço autónomo em Setúbal e que contará com as ruidosas presenças de diversos e aterrorizantes projectos, incluindo os infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi)! (+ info em baixo e aqui)

E no dia 25 de Junho os dSCi vão partir para a Balalouka Tour, digressão que os levará através da Rússia, de São Petersburgo a Vladivostoque, com o mítico driver/promotor russo Denis Siggi Alekseev e a sua não menos mítica carrinha Gazelle of Death! (+ info em breve)

Entretanto já está disponível (por encomenda ou num concerto perto de si) a fanzine com o diário gráfico feito pela Aude Barrio durante a Kschnpsk Tour, digressão que os dSCi fizeram com os Desflorestação por Espanha, França e Suíça em 2017!

15 de Junho | sábado | a partir das 18h

La Ursa Psicodélica (br) + Unitedstatesof (pt) + dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (pt) + Parpar (pt) + Matriarca Paralítica(pt) + Panelas Depressão (pt) + Decibélicas (pt) + Complex Naïvety (pt) + Menino da Mãe (pt) + Kosmik Kunts (dj set) + DJ Privilégio (dj set)

Noite Monstra Terror Fest!
Alternadora
Setúbal
info: +351920368772 / www.aalternadora.blogspot.com
entrada: contribuição mínima 3 euros

LA URSA PSICODÉLICA
La Ursa capta energias e frequências sonoras das explosões solares e da Ursa Maior. Essa energia captada pela máscara-antena reverbera diretamente na corrente sanguínea do performer, levando ao estado de consciência alterada. Prontamente inicia-se o metabolismo ósseo e muscular, criando movimentos involuntários que resultam numa estrutura musical espontânea, seguindo as indicações de partituras da Sismologia Estelar (ondas electromagnéticas dos corpos celestiais) traduzindo para a codificação humana os princípios da URSAL. Imbuídas deste sentimento primário da natureza e de sua ligação com o lúdico, o espaço urbano e o amor, a empatia da La Ursa Psicodélica com o universo infantil é inevitável! #LULALIVRE

UNITEDSTATESOF
Sob um manto sónico disperso comumente designado por música ambiental e levitando pelas suas variantes mais e menos ruidosas, UNITEDSTATESOF, o projecto a solo de João Rochinha, cativa pela serenidade pré (ou pós)-tempestuosa da sua obra. Munido de laptop, por vezes guitarra e restante parafernália instrumentativa, exprime-se ao vivo em libertinagem improvisacional e esta é transversal às mais díspares fronteiras eletroacústicas.

dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS
Formados em 2007 pelas mesmas mentes doentias que criaram a hiperactiva Associação Terapêutica do Ruído, entidade siamesa que se dedica à promoção de concertos DIY e à edição e distribuição de discos, os dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS são um colectivo de terapeutas do ruído sediado em Lisboa que tem um cadastro quase tão extenso e intenso como a sua música: dois EPs (“I” em 2008 e “II” em 2009), uma cassete (“SADITREVNiSAIEHCLOcIMEsSAUd“ em 2010), um LP (“4” em 2012), duas split-tapes (“dSCi/Cangarra” em 2013 e “Chains Split Tape Vol. 2” em 2016), um single (“Poda/Enco” em 2018), um split em vinil (“dSCi/Parpar” de 2018), dois álbuns ao vivo com o seu projecto paralelo de improvisação electroacústica dOISsEMIcIRCUITOSiNVERTIDOS, participações em várias compilações, inúmeras digressões europeias e centenas de concertos nas mais variadas situações e lugares e com os mais diversos grupos e músicos, isto sem falar de todos os outros projectos a que estão ou estiveram directa e indirectamente ligados ao longo destes anos.

PARPAЯ
Parpar é um duo de música experimental que funde free jazz com noise rock. É uma dança entre saxofone barítono e bateria à volta de uma aldeia em destruição pelas chamas. É com uma bipolaridade sonora e iluminações esquizofrénicas que Par (saxofone barítono & loops) e Par (bateria & efeitos) arquitectam um ambiente livre de clichés, com máscaras que figuram o assalto a frases repetidas até à exaustão, por sua vez rasgadas pela improvisação absoluta, livre de cadeias ou correntes.

MATRIARCA PARALÍTICA
Matriarca Paralítica foi parida numa quente noite de Outubro à porta de um pequeno bar em Los Anjos. Baixo, guitarra, bateria, teclado e distorções vocais para fazer da inadequação social uma celebração eléctrica.

PANELAS DEPRESSÃO
Ingredientes:
250 ml de rock n’roll
2 g. de techno desbarato
30 cl de punk carnavalesco
500 g de chumbo pesado biológico
confusão qb
e erotismo a gosto
Modo de preparação:
Juntar todos os ingredientes na panela depressão. Coloque a panela em lume brando e agite um pouco até levantar fervura. Servir bem quente. Bom apetite!

DECIBÉLICAS
As Decibélicas são um conjunto musical experimentálico fundado em 2016 constituído por cinco ou mais elementos humanos venusianos diversos que, sem cuidado nem à estética nem à métrica, exploram os meandros da espacialidade musico-temporal do Poço Metafísico Augusto Bimilenar e Muy Singelo de Braga, numa tentativa produtivamente fútil de expressar a sua condição sistémica e/ou emocional. Serão vistas nos locais habituais e são muito simpáticas, mas cuidado!… Algo de inesperado poderá acontecer…

COMPLEX NAÏVETY
Complex Naïvety é o novo projecto experimental de AX – situado entre o noise, punk, tekno, ambient e industrial. AX esteve envolvid@ no projecto tekno-punk Doping e no colectivo de Londres WKN.

MENINO DA MÃE
Menino da Mãe é a raiva de uma criança do subúrbio que morreu na capital. Electrónica punk noise experimental, não faz ideia do que está a fazer mas faz como pode e o resultado é uma construção ansiosa e desconcertante dos seus instrumentais sem noções de tempo ou métrica, à deriva entre canções e experiências de 150 bpm, sempre acompanhadas de odes urbano-depressivas gritadas do fundo do estômago. É ritual de purga e uma celebração à resistência nas cidades. Bêbado.

KOSMIK KUNTS
Kosmik Kunts são poderosas, místicas divinas maravilhosas, lascivas insolentes e ternurentas românticas invertebradas. Andam cientes das amarras que o patriarcado lhes impõe e enfrentam-nas de chifres em riste, mamilos em chamas e perante elas reviram os olhinhos com certo cinismo e muito enfado. Kosmik Kunts são o duo cósmico de Maria Daniela e Elizabete Francisca, que embora se deleitem especialmente com o malandrinho sotaque carioca, adoram todas as línguas e não têm preferência pelo género de quem as exercita. Nos seus dj sets ecoam gemidos de donzelas, gritos de guerreiras e lamentos de homens enfeitiçados.

DJ PRIVILÉGIO
DJ Privilégio é um DJ consagrado nas ruas de Odivelas. Desde cedo demonstrou aptidões para a arte do DJing quando invadiu a sua escola primária com o seu discman e as colunas JBL do seu pai no Carnaval de 2002. A tecnologia evoluiu e Diogo adquire o seu primeiro leitor de MP3 aos 13 anos de idade, algo que o elevou ao patamar de estrela no underground DJ distrital e que o tornou indispensável no interior do Pavilhão A da escola secundária de Odivelas, especialmente em dias chuvosos. A sua aguçada experiência musical revelou-se fulcral para a sua vida futura, abrindo-lhe as portas para a criação do colectivo Rotten \ Fresh. Prepara-se para apresentar ao público um cardápio sónico variado capaz de penetrar os vértices mais recônditos da popularidade terrestre.

Advertisements