Esta quarta-feira (21 de Fevereiro) os infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) estarão a fazer a sua terceira DIStapa, jantar semanal que as várias bandas e grupos que ensaiam no Disgraça servem às quartas-feiras e que junta tapas veganas a projecções de filmes com o intuito de angariar fundos para a manutenção do espaço! Nesta sessão o filme será “Green Room” do realizador norte americano Jeremy Saulnier! (+ info em baixo e aqui)

E na quinta-feira (22 de Fevereiro) os infames dSCi deslocam-se ao Antigo Presídio da Trafaria para participar no Gato Morto A_Live // Carpintaria Musical, evento de abertura da oficina de carpintaria Gato Morto que incluirá também actuações de Joana GuerraThomas Tilly e Vasco Alves e dj set de Dj NIITUQUDII & Dj Bowest! (+ info em baixo e aqui)

Entretanto continua disponível através do bandcamp dos dSCi a edição digital do single “Poda/Enco”, que foi lançado numa edição ultra-limitada em vinil transparente com capas originais de 33 artistas! E já está disponível através do bandcamp d’A Besta o álbum “TUKTUK tour”, registo ao vivo da digressão ibérica que os intrépidos Parpar fizeram em Outubro do ano passado (e que contou com o apoio da ATR)!

“Green Room” (2015 – 95 mins.)

“fds vão passar o greeen room? esse filme é granda merda!”
Rafeiro (disgraça)

“O Green Room surpreende pela sua simplicidade e pequenos pormenores que fazem toda a diferença…desde o espaço em si até às opções de menu que apresenta. Optei por um hambúrguer de abóbora e noz em pão integral, com um topping de cheddar…..fabuloso!!”
Paulo M (tripadvisor)

“Patrick Stewart was so unsettled he stopped after 30 pages to ensure all his windows and doors were locked, then poured himself a scotch.”
Alex Godfrey (the guardian)

“It’s a white knuckle thrillfest, and one that pits a lump in your stomach from the intensity witnessed on screen.”
Deimos Remus (imdb)

22 de Fevereiro | quinta-feira | a partir das 19h30

dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (pt)
Joana Guerra (pt)
Thomas Thilly (fr)
Vasco Alves (pt)
Dj NIITUQUDII & Dj Bowest (dj set)

Gato Morto A_Live // Carpintaria Musical
Antigo Presídio da Trafaria
entrada: reservada a associados – adesão no local com preço livre
jantar + bar
organização: EDA + Gato Morto + 50hz

Uma noite excepcional para descobrir o Antigo Presidio daTrafaria ao som da música electrónica, acústica, popular, física, experta, mental, experimental, improvisada, escrita, cantada, encantada, densa, dançada, etc…

Vasco Alves (pt) // Gaita-de-foles contra computador

Thomas Thilly (fr) // Um pesadelo no paraíso dos ruídos e insectos

Joana Guerra (pt) // Violoncelo do vapor

dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (pt) // O jazz, finalmente, é curado!

+ Dj NIITUQUDII & Dj Bowest (dj set) // Torrente de sucessos

Advertisements
Posted in Uncategorized

Esta sexta-feira (2 de Fevereiro) por ocasião da segunda edição do Encontro de Artes e Técnicas de Impressão a ATR vai estar a organizar um concerto + jantar benefit com o intuito de angariar fundos para a sala de ensaios do Disgraça, espaço partilhado entre várias bandas incluindo os infames dSCi! Além do delicioso jantar vegano que os dSCi vão preparar, haverá também actuações do inenarrável grupo francês Bonne Humeur Provisoire e do misterioso músico brasileiro Grilowsky! (+ info em baixo e aqui)

Entretanto já está disponível através do bandcamp dos dSCi a edição digital do single â€œPoda/Enco” lançado no domingo passado numa edição ultra-limitada em vinil transparente com capas originais de 33 artistas que podem ainda ser vistas até AMANHà (entre as 15h e as 20h) numa exposição no Atelier Concorde!

2 de Fevereiro | sexta-feira | a partir das 19h30

Bonne Humeur Provisoire (fr)
Grilowsky (br/de/pt)

Benefit Sala de Ensaios
Encontro de Artes e Técnicas de Impressão #2
Disgraça
Rua da Penha de Fran̤a, 217 РLisboa
entrada: contribuições livres – mínimo 3 DIYs | jantar vegano

Os Bonne Humeur Provisoire são um OMNI (aka Objecto Musical Não Identificado) oriundo da cena DIY francesa especializado em transe biomecânico. Após uma excessiva exposição ao sol, uma preocupante ingestão de vitamina D e muitas farpas de madeira consumidas, este trio de ruidosos meliantes vem pela primeira vez a Portugal para nos apresentar o resultado das suas experiências sónicas que os próprios descrevem como uma espécie de música tradicional de um país que nunca existiu.

Grilowsky Ã© um multi-artista brasileiro radicado entre Berlim e Lisboa. Usando amplificador, pequenos microfones, um pedal Big Muff, V-Amp e uma guitarra Fender, Grilowsky captura as frequências de energia e som do Espaço. Essa energia capturada pela antena de máscara ressoa directamente na corrente sanguínea do artista, levando-o a um estado de inconsciência alterada. Rapidamente, começa o metabolismo, nos músculos e nos ossos, criando movimentos involuntários que resultam numa estrutura musical espontânea, seguindo as indicações das pautas da Sismologia Estelar, nas ondas electromagnéticas de corpos celestes traduzidos para a codificação humana numa nova forma de arte e de interacção.

Posted in Uncategorized

28 de Janeiro | domingo | 15h-20h

dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS
Lançamento + Exposição do single “Poda/Enco”

Atelier Concorde
Rua Leite Vasconcelos, 43A – Lisboa
entrada livre

A Associação Terapêutica do Ruído tem o prazer de vos convidar para a apresentação do novo single dos infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS, que foi gravado, misturado e masterizado pelo maestro Milo Gomberoff no estúdio Hukot em Barcelona durante a KsChNpSk Tour e que será lançado numa edição ultra-limitada em vinil transparente com capas originais de 33 artistas.
O lançamento contará com a presença ruidosa da banda, que estará a tocar repetida e ocasionalmente durante a tarde os dois lados deste disco cujo corte de vinil foi feito pela Gravinyl e incluirá também uma exposição das 33 capas originais feitas pelos seguintes artistas:
Simultaneamente será lançada a edição digital dos dois temas incluídos no disco para escuta e download gratuito através do bandcamp dos dSCi, que terá uma 34ª capa da autoria de Lucas Almeida, responsável também pelo artwork do cartaz
Posted in Uncategorized

Para começar este ruidoso ano os infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS(dSCi) tocam este sábado (13 de Janeiro) em conjunto com os Cardíaco na primeira sessão do Concêntrico, um novo ciclo de música experimental e improvisada organizado pelo colectivo/editora A Besta e com curadoria de Rui Eduardo Paes que irá decorrer uma vez por mês na Estudantina de São Domingos de Rana e que nesta sessão incluirá também um duo da violoncelista e vocalista Joana Guerra com o baixista André Calvário! (+ info em baixo e aqui)

Na quarta-feira (17 de Janeiro) os infames dSCi estarão a fazer a sua segunda DIStapa, jantar que as várias bandas e grupos que ensaiam no Disgraça servem todas as quartas-feiras e que junta tapas veganas a projecções de filmes com o intuito de angariar fundos para a manutenção do espaço! Nesta sessão será “KUSO”, filme do músico norte-americano Steven Ellison, mais conhecido como Flying Lotus! (+ info em baixo e aqui)

E até ao fim do mês (em data e local a anunciar) haverá o lançamento de um novo single dos infames dSCi numa edição ultra-limitada em vinil com capas originais de 33 artistas! (+ info em breve)

13 de Janeiro | sábado | 21h30

dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS & Cardíaco (pt)
André Calvário & Joana Guerra (pt)

Concêntrico #1
Estudantina de São Domingos de Rana
Rua Dom Pedro de Mascarenhas, 267 – São Domingos de Rana
entrada: 5 euros

O Concêntrico é um ciclo (ou “círculo”, mais exactamente) de música experimental e improvisada que irá decorrer uma vez por mês, em forma de double bill, ao longo do ano de 2018 e tendo como base o espaço renovado da Estudantina de São Domingos Rana, no concelho de Cascais. O propósito é juntar os músicos e os grupos do colectivo A Besta com uma série de convidados, em combinações inéditas. Nas duas partes de cada sessão estarão sempre parcerias entre dois músicos e entre duas bandas (ou mais, quando os projectos forem individuais) a tocarem em conjunto. O nome Concêntrico deriva da disposição espacial dos set-ups, com os ditos músicos a actuarem em círculo e o público disposto à volta deles. Todas as performances serão documentadas em vídeo e colocadas online, com duas câmaras giratórias colocadas no centro do círculo.
A primeira sessão terá início com a associação num mesmo ensemble das bandas Cardíaco (A Besta) e dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (Associação Terapêutica do Ruído), assim transportando para outro nível a velha cumplicidade que se tem estabelecido entre ambas: as duas formações já partilharam os mesmos palcos, mas nunca se tinha proporcionado este tipo de colaboração. Depois de intervalo, será a vez de ouvir e ver o duo da violoncelista e vocalista Joana Guerra (“Cavalos Vapor”, dupla com Gil Dionísio, Companhia João Garcia Miguel) e do baixista André Calvário (Signs of the Silhouette, Projéctil, Cardíaco).

“KUSO” (2017 – 94 mins.) é descrito por muitos como o filme mais nojento de sempre. Descreve uma sucessão de acontecimentos entre várias personagens que são os sobreviventes mutantes depois de um terramoto. Este filme demonstra não só a criatividade e imaginação do realizador mas também o seu lado humorístico. Uma verdadeira alucinação.
Posted in Uncategorized

A hiperactiva Associação Terapêutica do Ruído (ATR) e os seus infames gémeos siameses dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) estiveram a celebrar 10 anos de ruído terapêutico em 2017 e gostariam de agradecer mais uma vez a todos os músicos, espaços, promotores, editoras, colectivos, divulgadores e todas as outras pessoas que colaboraram de alguma maneira nestas comemorações (e que nos têm apoiado ao longo destes anos), sem os quais nada disto seria possível!

Do lado da hiperactiva ATR foi um ano repleto de acontecimentos terapêuticos: além da Convenção Internacional do Ruído Terapêutico, residência mensal em 10 actos da ATR no Damas que incluiu conferências, cimeiras, colóquios, palestras, prelecções, dissertações e lições sobre diversos tipos de ruído por inúmeros especialistas vindos de todo o mundo; houve também o Versus – Ciclo de Música Antagónica, ciclo mensal em 10 sessões com curadoria da ATR e da Zaratan que contou com as ruidosas participações dos mais variados antagonistas musicais e artistas visuais! E em Agosto houve mais uma edição do Festival Múltiplo, evento anual de identidades plurais e referências cruzadas organizado pela ATR e pela Zaratan em conjunto com outros colectivos! Isto sem falar de todos os músicos e bandas que tivemos o prazer de receber em 2017 em parceria com espaços como o Lounge e o Disgraça ou em colaboração directa ou indirecta, não só com entidades com as quais temos tido o privilégio de trabalhar ao longo destes anos como A Besta, a Dedos Biónicos, a Experimentáculo, o Grémio Caldense, as Oficinas do Convento, a Projéctil e a Sonoscopia, mas também com outras com quem começámos a colaborar este ano como a A9A Válvula, o Banco, o Irreal, a Filho Sarilho, a Nariz Entupido e o Panóplias! E não poderíamos deixar de mencionar a Tuktuk Tour, digressão ibérica que os intrépidos Parpar fizeram em Outubro e que contou com o apoio da ATR! E também de destacar a edição da “Kaüzpellaplatz III”, terceiro volume da compilação de homenagem a João Capela, músico, artista, escritor, activista, terapeuta do ruído e amigo que nos deixou em 2014, que foi lançada em Fevereiro em cassete e em versão digital via bandcamp da ATR, através do qual foram reeditados digitalmente durante este ano vários discos que tiveram a colaboração da ATR como o “Anarquia à Conta do Papá” do Gee Bees, o “Arritmia” dos Da Monstra, a discografia completa dos Lemur e o  “Bear With Me” (juntamente com o novo single “Telhado”) do Zé Trigueiros!

Do lado dos infames dSCi foi um ano de retoma, impulsionada também pela entrada do novo membro Diogo Marques no final de 2016! O ano começou com um concerto na À da Maxada em Setúbal (por ocasião do Espaço, um encontro de artes e técnicas que decorreu neste espaço autónomo em Janeiro), onde partilharam o palco com os ignóbeis Desflorestação, com quem viriam a fazer a KsChNpSk Tour, digressão que passou por Portugal, Espanha, França e Suíça em Setembro/Outubro e que incluiu actuações no Aïnu Fest (Montaigu), no Tours de Bars (Tours), no Gaffer Fest (Lyon) e na Feira Anarquista do Livro(Lisboa), entre tantos outros sítios! E terminou em Dezembro com uma prelecção sobre ruído terapêutico no décimo e último acto da já mencionada Convenção Internacional do Ruído Terapêutico no Damas (que contou também com uma palestra sobre ruído bestial pelos famigerados Cardíaco)! Pelo meio houve um inesquecível concerto de 10º aniversário com os amigos Daikiri e Tarabush (aka Gipsy Rufina) no Jardim da Estrela em Maio e a participação em diversos festivais como o Cidade PréOcupada (Montemor-o-Novo), o The Perro Perdedor Perdiguero Sound Fest (Don Benito) ou o já referido Festival Múltiplo, onde tocaram como dOISsEMIcIRCUITOSiNVERTIDOS, aproveitando a ocasião para reeditar toda a discografia deste seu projecto paralelo de improvisação electro-acústica via bandcamp dos dSCi, através do qual foram feitas também as reedições digitais da cassete “SADITREVNiSAIEHCLOcIMEsSAUd”, originalmente lançada pel’A Giant Fern em 2010 (e reeditada digitalmente pela Enough Records em 2011) e dos temas “Vaivém” (da split tape “dSCi/Cangarra”, originalmente lançada em cassete pel’A Giant Fern em 2013) e “Bursite” (da “Chains Split Tape Vol. 2”  originalmente editada em 2016 pel’A Besta em parceria com a ATR)! Além disso os dSCi colaboraram em várias compilações como a já destacada “Kaüzpellaplatz III”, a “Punk Comix” (que saiu com o split-book “Corta-e-Cola: Discos e Histórias do Punk em Portugal (1978-1998) / Punk Comix: Banda Desenhada e Punk em Portugal” de Afonso Cortez e de Marcos Farrajota, editado pela Chili Com Carne e pela Thisco com o apoio da Zerowork Recordsem Junho) e a “Trash n’ Tantrum” (compilação mundial de circuit-bending lançada pel’A New Hai em Agosto)!

Por último queríamos fazer referência às actividades paralelas dos terapeutas do ruído (e membros dos infames dSCi) Boris (aka Catapulta) e Desmarques, que durante este ano continuaram a desmultiplicar-se em diversos eventos, não só a solo, mas também em improvisações com outros músicos como o misterioso Linus Vandewolken ou em duo como sucedeu nas Terças de Poesia Clandestina, no IV Museum Festum, no Magusto do Grémio Caldense, no Lounge e no Saturday Night OD! E entretanto Boris desdobrou-se também em novos projectos a solo: além de Catapulta (aka Catapultz), tivemos Boris dos Bosques e ainda Kid, que lançou o álbum “20min” pela nova editora Partículaem Junho!

Em 2018 a ATR irá abrandar um pouco as suas hiperactividades terapêuticas para se concentrar mais nos dSCi, que vão dar início a este ruidoso ano no dia 13 de Janeiro com um concerto em conjunto com os Cardíaco na primeira sessão do Concêntrico, um novo ciclo de música experimental e improvisada organizado pelo colectivo/editora A Besta com curadoria de Rui Eduardo Paesque irá decorrer uma vez por mês na Estudantina de São Domingos de Rana! E na semana seguinte (17 de Janeiro) os infames dSCi estarão a fazer a sua segunda DIStapa, jantar que as várias bandas e grupos que ensaiam no Disgraça servem todas as quartas-feiras e que junta tapas veganas a projecções de filmes com o intuito de angariar fundos para a manutenção do espaço! E brevemente serão também anunciadas novas edições dos dSCi! (+ info em breve e aqui e ali)

Posted in Uncategorized