AMANHÃ (sábado | 23 de Fevereiro) o terapeuta do ruído (e membro dos infames dSCi) Boris regressa aos palcos lisboetas para actuar com o seu projecto Catapulta na Sirigaita por ocasião da primeira sessão da Cura_dor_ia Experimental, que incluirá também a inauguração de uma exposição de pintura de Liliana Claro, um dj set de NA O MI e comes & bebes! (+ info aqui)

E na próxima quarta-feira (27 de Fevereiro) os infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) estarão a organizar a Balalaika Benefit Party I, a primeira de uma série de iniciativas que se destinam a angariar fundos para cobrir os custos da Balalouka Tour, digressão que pretendem fazer este Verão pela Rússia, de Moscovo a Vladivostoque, com o mítico driver/promotor russo Denis Siggi Alekseev e a sua não menos mítica carrinha Gazelle of Death! Neste primeiro evento que irá decorrer no RDA69 a partir das 19h haverá, entre outras actividades eslavas, um delicioso jantar repleto de iguarias russas e um dj set dos indescritíveis Kafunko noSoundsystem, o colectivo de djs da ATR! (+ info aqui)

Entretanto já está disponível a versão graphzine + cd da “Punk Comix”, compilação que acompanhou o split-book “Corta-E-Cola/Punk Comix” de Afonso Cortez e Marcos Farrajota publicado pela Chili Com Carne (CCC) e a Thisco em 2017 e já esgotado! A compilação, editada pela CCC e pela Zerowork Records, pode agora ser adquirida juntamente com uma graphzine impressa em risografia pela Mundo Fantasma com ilustrações de 13 desenhadores inspiradas nas músicas deste disco, incluindo o tema “Caminhando Com Samuel” dos infames dSCi!

E entretanto já está disponível para escuta o primeiro tema de Bel Chi Or novo projecto da artista visual Pucarinha que conta com a participação do terapeuta do ruído Boris e dos músicos João Arsénio e Tiago Silva!

Catapulta (pt) + NA O MI (dj set) @ Cura_dor_ia Experimental 1.1 – Sirigaita, Lisboa | sáb. 23/02

Kafunko noSoundsystem (dj set) @ Balalaika Benefit Party I – RDA69, Lisboa | qua. 27/02

Advertisements
Posted in Uncategorized

Este fim de semana os infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS(dSCi) e os míticos Focolitus rumam juntos à Bélgica para dois concertos: na sexta-feira (1 de Fevereiro) no Cinema Nova em Bruxelas (por ocasião da exibição do filme “A Fábrica de Nada” e da retrospectiva do realizador Pedro Pinho e da produtora cinematográfica Terratreme que está a decorrer durante o mês de Janeiro e Fevereiro neste cinema) e no sábado (2 de Fevereiro) na La Ferme de Tourinnesem Tourinnes-Saint-Lambert (seguido por um dj set de DJ)! (+ info aqui e ali)

Entretanto a Associação Terapêutica do Ruído (ATR) vai estar a apoiar a Manifestação Contra o Fascismo que irá acontecer esta sexta-feira (1 de Fevereiro) às 18h30 no Rossio (seguida de concertos e convívio no Largo do Camões a partir das 20h30) e que é convocada pela Plataforma Antifascista de Lisboa (PAFL) e subscrita por inúmeros colectivos e diversas associações e entidades! (+ info aqui)

E em Fevereiro a ATR regressa em pleno às suas hiperactividades com as estreias em Lisboa de duas cantautoras, a canadiana Picastro e a espanhola Thérèse, no Serigaita no dia 13 de Fevereiro e dos OMA & G.W. Sok, projecto de electrónica e spoken word que junta membros dos ingleses Action Beat ao antigo vocalista dos holandeses The Ex, no Damas no dia 16 de Fevereiro, seguida por um dj set de João Melgueira! (+ info em breve e aqui e ali)

Posted in Uncategorized

Antes de rumarem juntos à Bélgica para um par de concertos os infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) e os míticos Focolitus poderão ser avistados na próxima segunda-feira (28 de Janeiro) no Disgraça num concerto co-organizado pela Associação Terapêutica do Ruído (ATR) e a Confraria Alegre de Gestão Autónoma (CAGA)! (+ info em baixo e aqui)

Entretanto a hiperactiva ATR, como não consegue estar parada, vai estar também a apoiar a Nariz Entupido no evento que vai decorrer no Disgraça este sábado (26 de Janeiro) e que além das actuações dos MSHR, duo pluridisciplinar norte-americano de noise experimental e de Alvenaria, projecto a solo do noisemaker brasileiro Igor Souza, incluirá a projecção do documentário “O que resta de Junho”, seguida de um debate e de um jantar benefit organizados pelo Coletivo de Ação Imigrante e Periférica (CAIP)! (+ info em baixo e aqui e ali)

28 de Janeiro | segunda-feira | a partir das 19h30

dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (pt)
Focolitus (pt)

Disgraça
Rua da Penha de França, 217 – Lisboa
entrada: contribuições inconscientes | jantar vegano

26 de Janeiro | sábado | a partir das 19h

MSHR (us)
Alvenaria (br)

Cinedebate: “O que resta de Junho”

Disgraça
Rua da Penha de França, 217 – Lisboa
entrada: contribuições conscientes | jantar vegano

Posted in Uncategorized

Para começar este terapêutico ano os infames dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (dSCi) juntam-se mais uma vez aos intrépidos Parpar (com os quais lançaram recentemente o “dSCi/Parpar split”, que se encontra disponível em formato digital para escuta e download gratuitos e em vinil por encomenda através das editoras envolvidas ou num concerto ou numa loja de discos perto de si) para tocar no Sabotage este sábado (12 de Janeiro)! (+ info em baixo e aqui)

A hiperactiva Associação Terapêutica do Ruído estará de regresso às suas actividades em Fevereiro e entretanto os dSCi vão voltar às estradas para um par de concertos na Bélgica com os míticos Focolitus no início desse mês! (+ info em breve)

12 de Janeiro | sábado | 22h30

dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS (pt)
Parpar (pt)

Sabotage
Rua de São Paulo, 16 – Lisboa
entrada: 6 euros

Formados em 2007 pelas mesmas mentes doentias que criaram a hiperactiva Associação Terapêutica do Ruído, entidade siamesa que se dedica à promoção de concertos DIY e à edição e distribuição de discos, os dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS são um colectivo de terapeutas do ruído sediado em Lisboa que tem um cadastro quase tão extenso e intenso como a sua música: dois EPs (“I” em 2008 e “II” em 2009), uma cassete (“SADITREVNiSAIEHCLOcIMEsSAUd“ em 2010), um LP (“4” em 2012), duas split-tapes (“dSCi/Cangarra” em 2013 e “Chains Split Tape Vol. 2” em 2016), um single (“Poda/Enco” em 2018), um split em vinil (“dSCi/Parpar split” em 2018), dois álbuns ao vivo com o seu projecto paralelo de improvisação electroacústica dOISsEMIcIRCUITOSiNVERTIDOS, participações em várias compilações, inúmeras digressões europeias e centenas de concertos nas mais variadas situações e lugares e com os mais diversos grupos e músicos, isto sem falar de todos os outros projectos a que estão ou estiveram directa e indirectamente ligados ao longo destes anos.

Parpar é um duo de música experimental que funde free jazz com noise rock. É uma dança entre saxofone barítono e bateria à volta de uma aldeia em destruição pelas chamas. É com uma bipolaridade sonora e iluminações esquizofrénicas que Par (saxofone barítono & loops) e Par (bateria & efeitos) arquitectam um ambiente livre de clichés, com máscaras que figuram o assalto a frases repetidas até à exaustão, por sua vez rasgadas pela improvisação absoluta, livre de cadeias ou correntes.
O duo, criado em Setembro de 2016 por Pedro Arelo (dos Da Monstra, Cardíaco e Gásmo) e João Sousa (dos a-nimal, Uivo Zebra, Cardíaco, Gásmo e muitos outros projectos do colectivo/editora A Besta), ocupa o chão de qualquer espaço que lhe seja cedido, trazendo consigo percussões oriundas de outros pontos do planeta, amplificadores que criam paredes densas de loops pré-concebidos ou criados no momento, sopros densos e pancadas secas, ecoadas, distorcidas até se renovarem no momento puro da construção de sentido, ou ausência dele.

Posted in Uncategorized